Gostou do artigo? Compartilhe!

Frutose adicionada a alimentos colabora para o aumento da diabetes mellitus, de distúrbios metabólicos relacionados a esta patologia e ao maior risco cardiovascular

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo coordenado por James J. DiNicolantonio, publicado no periódico Mayo Clinic Proceedings, mostra que reduzir a ingestão de açúcares adicionados a bebidas e alimentos, principalmente a frutose1, traduziria uma diminuição de morbidades relacionadas à diabetes mellitus2 e uma redução na mortalidade3 prematura das populações.

Dados obtidos em experiências com animais e estudos humanos associam a adição de açúcares (por exemplo, sacarose e xarope de milho rico em frutose1) ao desenvolvimento de diabetes mellitus2 e distúrbios metabólicos relacionados ao aumento do risco para doenças cardiovasculares4 (CV). Particularmente a adição de frutose1 (por exemplo, como um componente da sacarose adicionada ou como o principal componente de adoçantes ricos em frutose1) pode representar o maior problema para a incidência5 de diabetes mellitus2, de distúrbios metabólicos ligadas à diabetes6 e ao risco cardiovascular.

Por outro lado, alimentos integrais que contêm frutose1 (por exemplo, frutas e legumes) não representam um problema para a saúde7 e protegem contra a diabetes6 e patologias cardiovasculares. Várias orientações dietéticas recomendam o consumo de alimentos integrais ao invés de alimentos com adição de açúcares, mas algumas (por exemplo, as recomendações da American Diabetes6 Association) não recomendam restringir os açúcares adicionados a qualquer nível específico contendo frutose1. Outras diretrizes (como a do Instituto de Medicina) permitem que até 25% das calorias8 venham de açúcares adicionados, como da frutose1.

A ingestão de níveis tão elevados de frutose1 adicionada, sem dúvida, agrava o risco para o desenvolvimento de diabetes6 e de suas complicações. Não há necessidade de adicionar frutose1 ou quaisquer açúcares à dieta; a redução da ingestão de 5% do total de calorias8 (o nível agora sugerido pela Organização Mundial de Saúde7) mostrou melhorar a tolerância à glicose9 em seres humanos e diminuir a incidência5 de diabetes6 e de perturbações metabólicas que frequentemente o precedem ou o acompanham.

Fonte: Mayo Clinic Proceedings, volume 90, número 3, de março de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Frutose adicionada a alimentos colabora para o aumento da diabetes mellitus, de distúrbios metabólicos relacionados a esta patologia e ao maior risco cardiovascular. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/749542/frutose-adicionada-a-alimentos-colabora-para-o-aumento-da-diabetes-mellitus-de-disturbios-metabolicos-relacionados-a-esta-patologia-e-ao-maior-risco-cardiovascular.htm>. Acesso em: 21 nov. 2019.

Complementos

1 Frutose: Açúcar encontrado naturalmente em frutas e mel. A frutose encontrada em alimentos processados é derivada do milho. Contém quatro calorias por grama.
2 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
9 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
Gostou do artigo? Compartilhe!