Atalho: 6VVI42H
Gostou do artigo? Compartilhe!

Níveis mais altos de atividade física estão associados à menor reatividade do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal ao estresse em crianças, em artigo do Clinical Endocrinology and Metabolism

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

As crianças que realizam mais atividade física (AF), não só têm melhor saúde1 física, como também desfrutam de uma melhor saúde1 mental. No entanto, as vias pelas quais os exercícios físicos afetam o bem-estar permanecem obscuras. Para resolver esta questão, foi avaliado objetivamente o nível diário de atividade física, a atividade diurna do eixo hipotálamo2-hipófise3-adrenal (HHA) e a resposta desse eixo ao estresse psicossocial.

A pesquisa transversal em uma coorte4 de nascimentos ocorridos em Helsinque, na Finlândia, estudou 258 crianças de oito anos de idade. O nível de atividade física geral e a porcentagem do tempo gasto em AF vigorosas foram classificados por sexo em terços. O cortisol diurno e em resposta ao teste Trier Social Stress Test for Children foi dosado na saliva.

As crianças nos diferentes grupos de AF não mostraram diferenças de cortisol salivar diurno (P> 0,10 para AF geral e vigorosa). Crianças com níveis mais altos de AF geral ou vigorosa não mostraram ou tiveram apenas um pequeno aumento do cortisol após estresse (P = 0,10 e P = 0,03 para o tempo em análises de AF e AF vigorosa, respectivamente), enquanto que as crianças pertencentes aos terços mais baixos e intermediários apresentaram aumentos significativos ao longo do tempo no cortisol salivar após o estresse (P ≤ 0,002 para o tempo nas análises de AF geral e AF vigorosa).

Estes resultados sugerem que as crianças com níveis mais baixos de AF têm maior atividade do eixo HHA em resposta ao estresse e oferecem uma visão5 sobre os caminhos que as atividades físicas têm sobre o bem-estar físico e mental.

Fonte: Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, de 7 de março de 2013

NEWS.MED.BR, 2013. Níveis mais altos de atividade física estão associados à menor reatividade do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal ao estresse em crianças, em artigo do Clinical Endocrinology and Metabolism. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/342844/niveis-mais-altos-de-atividade-fisica-estao-associados-a-menor-reatividade-do-eixo-hipotalamo-hipofise-adrenal-ao-estresse-em-criancas-em-artigo-do-clinical-endocrinology-and-metabolism.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
3 Hipófise:
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
Gostou do artigo? Compartilhe!