Atalho: 67LGVV5
Gostou do artigo? Compartilhe!

Hipotireoidismo subclínico: tratar esta condição pode ajudar a aliviar alguns sintomas psiquiátricos como ansiedade, estresse e depressão

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Após revisar a literatura sobre o hipotireoidismo1 subclínico e algumas alterações de humor, o Dr. Russell Joffe, psiquiatra do <i>North Shore-Long Island Jewish Health System</i> e colegas concluíram recentemente que tratar esta condição poderia aliviar alguns sintomas2 psiquiátricos e até mesmo prevenir o declínio cognitivo3 futuro.

Em muitos pacientes com depressão, ansiedade e outros problemas psiquiátricos, os médicos também encontram níveis sanguíneos bastante alterados dos hormônios da tireoide4. Sabe-se que tratar o problema pode levar a melhorias na memória, no humor e na cognição5. Agora os cientistas estão avaliando se tratar o hipotireoidismo1 subclínico também traz benefícios para pacientes6 com problemas psiquiátricos.

Após revisar a literatura sobre o hipotireoidismo1 subclínico e algumas alterações de humor, o Dr. Russell Joffe, psiquiatra do North Shore-Long Island Jewish Health System e colegas concluíram recentemente que tratar esta condição poderia aliviar alguns sintomas2 psiquiátricos e até mesmo prevenir o declínio cognitivo3 futuro.

No hipotireoidismo1 subclínico, os pacientes não exibem sintomas2 de hipotireoidismo1 e têm níveis normais de hormônios tireoideos circulando no organismo. A única anormalidade é um aumento de TSH no sangue7.

Os médicos ainda se questionam se é um problema na tireoide4 que causa sintomas2 psiquiátricos ou se na verdade acontece o contrário. A ideia de tratar o hipotireoidismo1 subclínico também é controversa entre os endocrinologistas. O tratamento hormonal da tireoide4 pode sobrecarregar o coração8 e agravar a osteoporose9 em mulheres. Por outro lado, alguns estudos sugerem que deixar de tratar esta condição pode aumentar o risco da doença de Alzheimer10 e de outras demências.

Novas pesquisas são necessárias para avaliar tal hipótese.

Fonte: New York Times

 

NEWS.MED.BR, 2011. Hipotireoidismo subclínico: tratar esta condição pode ajudar a aliviar alguns sintomas psiquiátricos como ansiedade, estresse e depressão. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/249205/hipotireoidismo-subclinico-tratar-esta-condicao-pode-ajudar-a-aliviar-alguns-sintomas-psiquiatricos-como-ansiedade-estresse-e-depressao.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.

Complementos

1 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
4 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
5 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
9 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
10 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

01/12/2011 - Complemento feito por Neusa
Re: Hipotireoidismo subclínico: tratar esta condição pode ajudar a aliviar alguns sintomas psiquiátricos como ansiedade, estresse e depressão
Como Endocrinologista, onde atuei muitos anos ,na Faculdade de Medicina da USP , como professora e pesquisadora em moléstias tireoideanas, sempre adotei esta conduta de tratar o hipotireoidismo subclínico, não só para aliviar os sintomas, embora sutis apresentados pelos pacientes, como também na tentativa de evitar a progressão da doença clínica. Também ao adotar esta conduta, diminuiria os efeitos do estímulo constante do hormônio estimulante da tiróide TSH, estímulo este cuja consequência seria hiperplasia (aumento)da glândula tireoide facilitando a formação de nódulos.
NEUSA ABELIN (CRM 16809)

  • Entrar
  • Assinar