Gostou do artigo? Compartilhe!

Nobel de Medicina é concedido a americanos que pesquisaram sobre o fenômeno conhecido como interferência de RNA (RNAi)

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Instituto Karolinska, de Estocolmo, anunciou que o prêmio Nobel de Medicina 2006 será concedido a dois americanos, Andrew Fire e Craig Mello, por seu trabalho no campo da genética. Eles realizaram pesquisas sobre um fenômeno conhecido como "interferência de RNA" (RNAi), um mecanismo fundamental para controlar o fluxo de informação genética dentro de células1 vivas.

Em 1998, Craig Mello e Andrew Fire publicaram um trabalho científico na revista Nature detalhando a interferência do RNA. Na prática, pequenos fragmentos2 de RNA "induzem" as células1 a destruírem o mRNA do gene antes que ele possa produzir uma proteína. Cientistas especulam que o mecanismo foi desenvolvido centenas de milhões de anos atrás para proteger organismos contra vírus3 invasores, que às vezes criam RNA duplo quando se replicam.

Antes acreditava-se que o RNA tinha um papel muito pequeno no controle genético. O trabalho dos pesquisadores americanos demonstrou que ele desempenha um papel-chave na regulação dos genes. O trabalho revolucionou a forma como pensamos processos biológicos, abrindo um novo campo na biologia.

A maioria dos prêmios Nobel são concedidos muitos anos após as descobertas e contribuições mais relevantes. O fato da pesquisa ter sido reconhecida pelo comitê do Nobel apenas oito anos depois de publicada indica como ela foi importante.

A "interferência de RNA" já é amplamente usada como um método de estudo das funções dos genes e pode levar a novos tratamentos para várias doenças, como câncer4 e infecções5 virais.

A entrega do prêmio (aproximadamente US$ 1,4 milhão) será no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de Alfred Nobel.

Confira o artigo original da Revista Nature 391, 806 - 811 (19 February 1998); doi:10.1038/35888:

Potent and specific genetic interference by double-stranded RNA in Caenorhabditis elegans


Fonte: Nature
           Nobel Prize

NEWS.MED.BR, 2006. Nobel de Medicina é concedido a americanos que pesquisaram sobre o fenômeno conhecido como interferência de RNA (RNAi). Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1880/nobel-de-medicina-e-concedido-a-americanos-que-pesquisaram-sobre-o-fenomeno-conhecido-como-interferencia-de-rna-rnai.htm>. Acesso em: 16 nov. 2019.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!