Gostou do artigo? Compartilhe!

Otimismo pode melhorar a saúde e aumentar a longevidade, estudo publicado pelo American Journal of Epidemiology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O estudo coordenado pelo Dr. Eric S. Kim, do Departamento de Ciências Sociais e de Comportamento, da Harvard T.H. Chan School of Public Health, liga o otimismo a um menor risco de danos à saúde1 e ao aumento da longevidade.

Evidências crescentes ligaram atributos psicológicos positivos como otimismo a um menor risco de danos à saúde1, especialmente a doenças cardiovasculares2. Além disso, foi demonstrado em ensaios randomizados que o otimismo pode ser aprendido.

Se as associações entre otimismo e resultados mais amplos de saúde1 são estabelecidas, isso pode levar a novas intervenções que melhoram a saúde1 pública e a longevidade. No presente estudo, avaliou-se a associação entre otimismo e mortalidade3 por causa específica em mulheres, considerando o papel de possíveis variáveis de confusão (características sociodemográficas, depressão) e intermediárias (hábitos de saúde1, condições de saúde1). Foram utilizados dados prospectivos do Nurses’ Health Study (n=70.021).

A disposição otimista foi medida em 2004; todas as causas e as taxas de mortalidade3 por causa específica foram avaliadas de 2006 a 2012. Usando os modelos de risco proporcional de Cox, verificou-se que um maior grau de otimismo estava associado a um menor risco de mortalidade3.

Após ajustes para fatores sociodemográficos de confusão, comparando às mulheres no quartil mais baixo de otimismo, as mulheres no quartil mais alto tiveram uma razão de risco de 0,71 (intervalo de confiança de 95%: 0,66-0,76) para a mortalidade3 por todas as causas. Adicionando hábitos de saúde1, condições de saúde1 e depressão, atenuou-se mas não eliminou-se as associações (hazard ratio=0,91, IC 95%: 0,85-0,97).

As associações foram mantidas para várias causas de morte, incluindo câncer4, doença cardíaca, acidente vascular cerebral5, doença respiratória e infecção6. Dado que o otimismo está associado a numerosas causas de mortalidade3, ele pode ser um alvo valioso para novas pesquisas sobre estratégias para melhorar a saúde1.

Leia também "Maneiras de lidar com o estresse" e "Entendendo melhor o estresse e como aliviá-lo".

 

Fonte: American Journal of Epidemiology, publicação online de 7 de dezembro de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Otimismo pode melhorar a saúde e aumentar a longevidade, estudo publicado pelo American Journal of Epidemiology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1282988/otimismo-pode-melhorar-a-saude-e-aumentar-a-longevidade-estudo-publicado-pelo-american-journal-of-epidemiology.htm>. Acesso em: 23 out. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!