Atalho: 5RC9X21
Gostou do artigo? Compartilhe!

FDA aprova medicação para prevenção da asma

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

No dia 31 de março de 2005 a FDA (Food and Drug Administration) aprovou, como droga de primeira linha na prevenção da asma1, o uso de 220mcg de furoato de mometasona (pó inalatório).

Estudos comprovam que a substância reduz do uso de drogas na emergência2, além de melhorar a função pulmonar e os sintomas3 diurnos e noturnos. É fácil de usar e permite visualização das doses remanescentes.

A asma1 é uma doença inflamatória pulmonar crônica que afeta mais de 20 milhões de pessoas. Anualmente causa cerca de 5000 mortes, 9,4 bilhões de dólares em gastos diretos com tratamento e aproximadamente 4,5 milhões de dias de trabalho não trabalhados.

O ASMANEX foi descoberto e desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas da Schering-Plough e atualmente aprovado para o tratamento da asma1 em 40 países.


Fonte: Food and Drug Administration

NEWS.MED.BR, 2005. FDA aprova medicação para prevenção da asma. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/957/fda+aprova+medicacao+para+prevencao+da+asma.htm>. Acesso em: 20 jan. 2022.

Complementos

1 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
2 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!