Atalho: 5JMEM08
Gostou do artigo? Compartilhe!

Rimonabanto: resultados que levaram à suspensão do ensaio clínico CRESCENDO são divulgados pelo The Lancet

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O periódico The Lancet divulgou o resultado final do estudo Comprehensive Rimonabant Evaluation Study of Cardiovascular ENDpoints and Outcomes (CRESCENDO), que avaliou o uso do rimonabanto, inibidor do receptor endocanabinoide, usado para tratamento da obesidade1, melhoria metabólica nos triglicérides2, HDL colesterol3 e resistência insulínica e seus efeitos em eventos cardiovasculares. O ensaio clínico mostrou efeitos psiquiátricos graves com o uso de rimonabanto.

O estudo duplo-cego4, randomizado5, controlado por placebo6 foi conduzido em 974 hospitais de 42 países, envolvendo 18.695 pacientes com manifestação prévia ou risco aumentado para doenças cardiovasculares7. Os participantes receberam 20 mg de rimonabanto diariamente (n=9381) ou placebo6 (n=9314). O objetivo era verificar se ele também melhora a sobrevida8 nos principais eventos cardiovasculares.

Durante o acompanhamento com 13,8 meses de andamento, o estudo foi abruptamente descontinuada devido ao risco de suicídio e efeitos psiquiátricos em indivíduos recebendo rimonabanto. Todos os participantes foram analisados. Ao final da pesquisa, em 6 de novembro de 2008, as mortes por eventos cardiovasculares, infarto do miocárdio9 ou derrame10 cerebral ocorreram em 364 (3,9%) do pacientes em uso de rimonabanto e 375 (4%) recebendo placebo6. Com o rimonabanto, observou-se que efeitos gastrointestinais (3038 [33%] versus 2084 [22%], neuropsiquiátricos 3028 [32%] versus 1989 [21%]) e sérios efeitos colaterais11 psiquiátricos (232 [2,5%] versus 120 [1,3%] estavam aumentados comparados ao uso de placebo6. Quatro pacientes em uso da medicação e um paciente em uso de placebo6 cometeram suicídio.

A suspensão do ensaio clínico antes do seu final deixa importantes lições para o desenvolvimento de novos medicamentos. Um medicamento que foi introduzido no mercado para tratar a obesidade1, mas foi testado para verificar sua resposta nos eventos cardiovasculares, induziu sérios efeitos neuropsiquiátricos que foram inaceitáveis pelas autoridades reguladoras. Tanto os estudos quanto o medicamento foram descontinuados.

Fontes:

The Lancet, volume 376, de 14 de agosto de 2010

Clinical Trials.gov

NEWS.MED.BR, 2010. Rimonabanto: resultados que levaram à suspensão do ensaio clínico CRESCENDO são divulgados pelo The Lancet. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/68957/rimonabanto-resultados-que-levaram-a-suspensao-do-ensaio-clinico-crescendo-sao-divulgados-pelo-the-lancet.htm>. Acesso em: 20 nov. 2019.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
3 HDL colesterol: Do inglês high-density-lipoprotein cholesterol, ou colesterol de alta densidade. Também chamado de bom colesterol.
4 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
5 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
7 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
8 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
9 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
10 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
11 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!