Atalho: 5DWTW0B
Gostou do artigo? Compartilhe!

Propiltiouracil: FDA alerta sobre possíveis danos hepáticos nas crianças e adultos em uso da medicação

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O FDA (Food and Drug Administration) acrescentou um alerta na bula do medicamento propiltiouracil incluindo informação sobre relatos de danos hepáticos severos em pacientes pediátricos e adultos em uso da medicação. Alguns casos foram fatais.

O FDA (Food and Drug Administration) notificou os profissionais de saúde1 sobre os possíveis danos hepáticos severos, incluindo insuficiência hepática2 e morte em pacientes pediátricos e adultos em uso desta medicação. 

Relatos ao FDA's Adverse Event Reporting System (AERS) sugerem que há um aumento do risco de hepatotoxicidade3 com o propiltiouracil, quando comparado ao metimazol. O FDA identificou 32 casos (22 em adultos e 10 em crianças) de danos hepáticos severos associados ao uso do medicamento. Embora tanto o propiltiouracil, quanto o metimazol sejam indicados para o tratamento do hipertireoidismo4 associado à doença de Graves, os médicos devem considerar cuidadosamente qual medicamento deve ser prescrito como tratamento inicial.

Os pacientes devem ser monitorados por seus médicos para sinais5 e sintomas6 de danos hepáticos, especialmente nos primeiros seis meses depois do início da terapia com propiltiouracil. Nos pacientes pediátricos, este medicamento só deve ser usado quando houver alergia7 ou intolerância ao metimazol, ou não haja outro tratamento disponível.

Fonte: FDA

NEWS.MED.BR, 2010. Propiltiouracil: FDA alerta sobre possíveis danos hepáticos nas crianças e adultos em uso da medicação. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/58404/propiltiouracil-fda-alerta-sobre-possiveis-danos-hepaticos-nas-criancas-e-adultos-em-uso-da-medicacao.htm>. Acesso em: 21 nov. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
3 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
4 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
5 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!