Atalho: 6NP1VYQ
Gostou do artigo? Compartilhe!

BMJ: uso de benzodiazepínicos foi associado ao aumento do risco de demência

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo populacional prospectivo1 avaliou a associação entre o uso de benzodiazepínicos e os casos incidentes2 de demência3. A pesquisa é conhecida como PAQUID, foi realizada na França e publicada pelo British Medical Journal (BMJ).

O estudo contou com a participação de 1.063 homens e mulheres (idade média de 78,2 anos) que estavam livres de demência3 e não começaram a tomar benzodiazepínicos pelo menos até o terceiro ano de acompanhamento. O resultado principal foram os casos incidentes2 de demência3, confirmados por um neurologista4.

Durante 15 anos de acompanhamento, 253 novos casos de demência3 foram confirmados. O novo uso de benzodiazepínicos foi associado com um risco aumentado de demência3. Análise de sensibilidade considerando a existência de sintomas5 depressivos mostrou uma associação semelhante. Uma análise secundária reunindo participantes que iniciaram o uso de benzodiazepínicos durante o acompanhamento avaliou a associação com demência3 incidente6. A taxa de risco de novos usuários de benzodiazepínicos foi de 1,46 (1,10-1,94). Os resultados de um estudo complementar caso-controle mostraram que a utilização de benzodiazepínicos foi associada a um aumento de aproximadamente 50% no risco de demência3 em comparação com pessoas que não utilizavam a medicação. Os resultados foram semelhantes nos antigos usuários e nos usuários recentes, mas alcançou significância apenas nos do segundo grupo.

Concluiu-se que, neste estudo populacional, o novo uso de benzodiazepínicos foi associado ao aumento do risco de demência3. O resultado foi robusto em análise de dados agregados em todas as coortes de novos usuários de benzodiazepínicos durante toda a pesquisa e em um estudo de caso-controle complementar. Considerando o número de prescrições de benzodiazepínicos e os potenciais efeitos adversos desta classe de drogas, na população em geral, o uso indiscriminado destes medicamentos deve merecer maior atenção em condutas médicas.

Fonte: BMJ, de 27 de setembro de 2012 

NEWS.MED.BR, 2012. BMJ: uso de benzodiazepínicos foi associado ao aumento do risco de demência. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/321045/bmj-uso-de-benzodiazepinicos-foi-associado-ao-aumento-do-risco-de-demencia.htm>. Acesso em: 14 nov. 2019.

Complementos

1 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
2 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Neurologista: Médico especializado em problemas do sistema nervoso.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
Gostou do artigo? Compartilhe!