Atalho: 6DAZQLW
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tocilizumabe, medicamento usado na artrite, pode proteger contra doenças coronarianas, em estudo divulgado pelo The Lancet

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A interleucina-6 (IL-6), uma proteína envolvida na inflamação1, parece desempenhar um importante papel no desenvolvimento de doenças coronarianas e na aterosclerose2. Os novos achados, publicados pelo The Lancet, mostram que medicamentos que tenham como alvo o bloqueio dos receptores da interleucina-6 (IL-6R) talvez possam ajudar a prevenir as doenças coronarianas no futuro. Um desses medicamentos já é usado para tratar a artrite reumatoide3, o tocilizumabe.

O tocilizumabe bloqueia a ação da IL-6, considerada uma perpetuadora da inflamação1 crônica na artrite reumatoide3. Este medicamento neutraliza a ação da IL-6 ao impedir sua ligação a receptores específicos.

A aterosclerose2 é uma inflamação1 que causa a formação de placas4 de gordura5 dentro das paredes dos vasos sanguíneos6.

Em uma análise, os pesquisadores revisaram dados de mais de 200 mil participantes em 82 estudos e descobriram que aqueles com uma variação genética nos receptores da interleucina-6 (IL-6R) tiveram um risco reduzido para doenças cardíacas. Para cada cópia herdada da variação genética Asp358Ala, uma pessoa apresenta um risco 3,4 % menor para doença cardíaca coronariana.

Estes resultados suportam a hipótese de que a inflamação1 é importante nas doenças cardíacas coronárias e encoraja a realização de novas pesquisas sobre a modulação das vias dos IL-6R como um meio de prevenir este tipo de patologia7, de acordo com estudiosos do IL6R Genetics Consortium and Emerging Risk Factors Collaboration.

Em uma segunda análise, foram revisados dados de mais de 133 mil pessoas em 40 estudos e achou-se uma redução de 5% no risco de doenças coronarianas para cada cópia herdada da variação genética Asp358Ala.

O bloqueio dos IL-6R pode ser uma esperança na prevenção de doenças cardíacas coronarianas e deve ser validado por ensaios clínicos8 randomizados, escreveram pesquisadores do IL6R Mendelian Randomization Analysis Consortium.

Fonte: The Lancet, publicação online, de 14 de março de 2012

NEWS.MED.BR, 2012. Tocilizumabe, medicamento usado na artrite, pode proteger contra doenças coronarianas, em estudo divulgado pelo The Lancet. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/289330/tocilizumabe-medicamento-usado-na-artrite-pode-proteger-contra-doencas-coronarianas-em-estudo-divulgado-pelo-the-lancet.htm>. Acesso em: 18 nov. 2019.

Complementos

1 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
2 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
3 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
4 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
5 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
6 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
7 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
8 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
Gostou do artigo? Compartilhe!