Atalho: 62V2KGC
Gostou do artigo? Compartilhe!

FDA aprova o Botox para tratar a incontinência urinária decorrente de lesões neurológicas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Food and Drug Administration (FDA), nos EUA, aprovou o uso da injeção1 de Botox (toxina2 botulínica) para tratar a incontinência urinária3 decorrente de patologias neurológicas, como lesões4 medulares e esclerose múltipla5.

Algumas doenças neurológicas podem levar à incapacidade para armazenar a urina6 na bexiga7, uma condição conhecida como hiperatividade da bexiga7. Atualmente, o tratamento desta condição inclui a prescrição de medicamentos para relaxar a bexiga7 ou o uso de um cateter para esvaziar a bexiga7 regularmente.

O FDA aprovou o uso do Botox agora para a incontinência urinária3. O tratamento consiste em injetar a toxina2 botulínica na bexiga7, resultando em um relaxamento deste órgão, um aumento da sua capacidade de armazenamento e uma diminuição da incontinência urinária3.

A injeção1 de Botox na bexiga7 é realizada através da cistoscopia8, um procedimento que permite ao médico visualizar o interior da bexiga7. A duração do efeito do Botox na incontinência urinária3 em pacientes com hiperatividade da bexiga7 associada a uma condição neurológica é de até 10 meses.

A eficácia de Botox para tratar este tipo de incontinência9 foi demonstrada em dois estudos clínicos envolvendo 691 pacientes. Os pacientes tinham incontinência urinária3 resultantes de lesão10 medular ou de esclerose múltipla5. Ambos os estudos mostraram uma diminuição estatisticamente significativa na frequência semanal de episódios de incontinência9 no grupo do Botox em comparação ao grupo que recebeu placebo11.

Além de seu uso para melhorar a aparência de linhas de expressão facial, o Botox também é aprovado pelo FDA para o tratamento de enxaqueca12 crônica, certos tipos de rigidez ou contratura muscular, transpiração13 excessiva nas axilas e contração anormal da pálpebra.

As reações adversas mais comuns observadas após a injeção1 de Botox na bexiga7 foram infecção14 do trato urinário15 e retenção urinária16. Aqueles que desenvolvem retenção urinária16 após o tratamento de Botox podem fazer um auto-cateterismo17 para esvaziar a bexiga7.

Fonte: FDA

 

NEWS.MED.BR, 2011. FDA aprova o Botox para tratar a incontinência urinária decorrente de lesões neurológicas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/231945/fda-aprova-o-botox-para-tratar-a-incontinencia-urinaria-decorrente-de-lesoes-neurologicas.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Toxina: Substância tóxica, especialmente uma proteína, produzida durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capaz de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
3 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
4 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
8 Cistoscopia: Visualização da bexiga urinária através de um instrumento óptico (cistoscópio) que é introduzido pela uretra.
9 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
12 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
13 Transpiração: 1. Ato ou efeito de transpirar. 2. Em fisiologia, é a eliminação do suor pelas glândulas sudoríparas da pele; sudação. Ou o fluido segregado pelas glândulas sudoríparas; suor. 3. Em botânica, é a perda de água por evaporação que ocorre na superfície de uma planta, principalmente através dos estômatos, mas também pelas lenticelas e, diretamente, pelas células epidérmicas.
14 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
15 Trato Urinário:
16 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
17 Cateterismo: Exame invasivo de artérias ou estruturas tubulares (uretra, ureteres, etc.), utilizando um dispositivo interno, capaz de injetar substâncias de contraste ou realizar procedimentos corretivos.
Gostou do artigo? Compartilhe!