Gostou do artigo? Compartilhe!

Zostavax: primeira vacina contra o herpes-zoster, aprovada pelo FDA, vai prevenir 51% dos casos da doença

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para combater a herpes-zoster1, o laboratório Merck Sharp & Dohme desenvolveu a primeira vacina2 contra a doença, a Zostavax. O FDA (órgão dos EUA responsável pela regulação de medicamentos e alimentos) aprovou, no último dia 25, a sua utilização em pessoas acima de 60 anos de idade - faixa etária em que o herpes-zoster1 é muito mais comum. No Brasil, o laboratório já solicitou à Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) a liberação da droga e, segundo o laboratório, a regulamentação deve sair no início de 2007.

O herpes-zoster1, conhecido popularmente como Cobreiro, é uma infecção3 viral provocada pelo mesmo vírus4 da catapora5 (varicela6-zoster1) e causa dor e desconforto intensos. Este vírus4 pode permanecer latente ou inativo na coluna espinhal e ser reativado depois dos 50 anos de idade, geralmente em situações em que há queda expressiva da imunidade7, durante tratamentos de quimioterapia8, doenças debilitantes ou nos períodos de estresse intenso.

Vale ressaltar que a vacina2 não é para tratamento e sim prevenção e espera-se uma eficácia de 100%. A dosagem da Zostavax é mais alta que na vacina2 contra a varicela6. Com a nova vacina2, os riscos de desenvolvimento do herpes-zoster1 diminuem em 51%.

Fonte: Food and Drug Administration

NEWS.MED.BR, 2006. Zostavax: primeira vacina contra o herpes-zoster, aprovada pelo FDA, vai prevenir 51% dos casos da doença. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1737/zostavax-primeira-vacina-contra-o-herpes-zoster-aprovada-pelo-fda-vai-prevenir-51-dos-casos-da-doenca.htm>. Acesso em: 11 dez. 2019.

Complementos

1 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
2 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
5 Catapora: Doença infecciosa aguda, comum na infância, também chamada de varicela. Ela é provocada por vírus e caracterizada por febre e erupção maculopapular rápida, seguida de erupção de vesículas eritematosas muito pruriginosas.
6 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
7 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
8 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
Gostou do artigo? Compartilhe!