Gostou do artigo? Compartilhe!

Glóbulos vermelhos cultivados em laboratório foram transfundidos em duas pessoas em ensaio clínico inédito

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Glóbulos vermelhos que foram cultivados em laboratório foram agora transfundidos em outra pessoa em um primeiro ensaio clínico mundial, de acordo com um comunicado publicado pelo National Health Service (NHS) do Reino Unido.

As células sanguíneas1 fabricadas foram cultivadas a partir de células-tronco2 de doadores. Os glóbulos vermelhos foram então transfundidos em voluntários no ensaio clínico randomizado3 controlado RESTORE.

Esta é a primeira vez no mundo que glóbulos vermelhos cultivados em laboratório são dados a outra pessoa como parte de um ensaio de transfusão4 de sangue5.

Se forem comprovadas como seguras e eficazes, as células sanguíneas1 fabricadas poderão, com o tempo, revolucionar os tratamentos para pessoas com doenças sanguíneas, como anemia falciforme6, e com tipos sanguíneos raros. Pode ser difícil encontrar sangue5 doado compatível o suficiente para algumas pessoas com esses distúrbios.

Leia sobre "Transfusão4 de sangue5", "Doação de sangue5" e "Anemias".

O estudo RESTORE é uma iniciativa de pesquisa conjunta do NHS Blood and Transplant (NHSBT) e da University of Bristol, trabalhando com University of Cambridge, Guy's and St Thomas' NHS Foundation Trust, National Institute for Health and Care Research (NIHR), Cambridge Clinical Research Facility e Cambridge University Hospitals NHS Foundation Trust. O estudo é parcialmente financiado por uma bolsa do NIHR.

O ensaio está estudando a vida útil das células cultivadas7 em laboratório em comparação com infusões de glóbulos vermelhos padrão do mesmo doador. As células sanguíneas1 cultivadas em laboratório são todas frescas, então a equipe do estudo espera que elas tenham um desempenho melhor do que uma transfusão4 semelhante de células8 vermelhas doadas padrão, que contém células8 de idades variadas.

Além disso, se as células8 fabricadas durarem mais no corpo, os pacientes que precisam regularmente de sangue5 podem não precisar de transfusões com tanta frequência. Isso reduziria a sobrecarga de ferro de transfusões de sangue5 frequentes, a qual pode levar a complicações graves.

O ensaio é o primeiro passo para tornar os glóbulos vermelhos cultivados em laboratório disponíveis como um futuro produto clínico. No futuro previsível, as células8 fabricadas só poderiam ser usadas para um número muito pequeno de pacientes com necessidades de transfusões muito complexas. O NHSBT continua a contar com a generosidade dos doadores.

Até agora, duas pessoas foram transfundidas com os glóbulos vermelhos cultivados em laboratório. Elas foram monitoradas de perto e nenhum efeito colateral9 desagradável foi relatado. As pessoas estão bem e saudáveis. As identidades dos participantes que receberam a transfusão4 até agora não estão sendo divulgadas, para ajudar a manter o ensaio “cego”.

A quantidade de células cultivadas7 em laboratório sendo infundidas varia, mas é de cerca de 5 a 10 ml – cerca de uma a duas colheres de chá.

Os doadores foram recrutados da base de doadores de sangue5 do NHSBT. Eles doaram sangue5 para o ensaio e as células-tronco2 foram separadas de seu sangue5. Essas células-tronco2 foram então cultivadas para produzir glóbulos vermelhos em um laboratório na Unidade de Terapias Avançadas do NHSBT em Bristol. Os receptores do sangue5 foram recrutados de membros saudáveis do NIHR BioResource.

Um mínimo de 10 participantes receberá duas minitransfusões com pelo menos quatro meses de intervalo, uma de glóbulos vermelhos padrão doados e uma de glóbulos vermelhos cultivados em laboratório, para descobrir se os glóbulos vermelhos jovens produzidos em laboratório duram mais do que as células8 produzidas no corpo.

Mais testes são necessários antes do uso clínico, mas esta pesquisa marca um passo significativo no uso de glóbulos vermelhos cultivados em laboratório para melhorar o tratamento de pacientes com tipos sanguíneos raros ou pessoas com necessidades complexas de transfusão4.

Ashley Toye, professora de Biologia Celular na Universidade de Bristol e diretora da Unidade de Sangue5 e Transplante do NIHR em produtos de glóbulos vermelhos, disse: “Este ensaio desafiador e emocionante é um grande trampolim para a fabricação de sangue5 a partir de células-tronco2. Esta é a primeira vez que o sangue5 cultivado em laboratório de um doador alogênico foi transfundido e estamos entusiasmados em ver o desempenho das células8 no final do ensaio clínico”.

O pesquisador-chefe, professor Cedric Ghevaert, professor de medicina transfusional e hematologista consultor da Universidade de Cambridge e do NHSBT, disse: “Esperamos que nossos glóbulos vermelhos cultivados em laboratório durem mais do que aqueles provenientes de doadores de sangue5. Se nosso estudo, o primeiro no mundo, for bem-sucedido, isso significará que os pacientes que atualmente precisam de transfusões de sangue5 regulares de longo prazo precisarão de menos transfusões no futuro, ajudando a transformar seus cuidados”.

A Dra. Rebecca Cardigan, Chefe de Desenvolvimento de Componentes do NHSBT e Professora Afiliada da Universidade de Cambridge, disse: “É realmente fantástico que agora sejamos capazes de cultivar glóbulos vermelhos suficientes em grau médico para permitir que este ensaio comece, estamos realmente ansiosos para ver os resultados e se eles funcionam melhor do que os glóbulos vermelhos padrão.”

Veja também sobre "Composição e funções do sangue5", "Células-tronco2" e "Grupos sanguíneos".

 

Fonte: National Health Service, comunicado publicado em 07 de novembro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Glóbulos vermelhos cultivados em laboratório foram transfundidos em duas pessoas em ensaio clínico inédito. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1429570/globulos-vermelhos-cultivados-em-laboratorio-foram-transfundidos-em-duas-pessoas-em-ensaio-clinico-inedito.htm>. Acesso em: 5 fev. 2023.

Complementos

1 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
2 Células-tronco: São células primárias encontradas em todos os organismos multicelulares que retêm a habilidade de se renovar por meio da divisão celular mitótica e podem se diferenciar em uma vasta gama de tipos de células especializadas.
3 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
7 Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!