Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: tramadol e o risco de hospitalização por hipoglicemia em pacientes com dor não oncológica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O tramadol é um analgésico1 opioide fraco cuja utilização tem aumentado rapidamente. Ele tem sido associado a efeitos adversos como a hipoglicemia2. O objetivo da pesquisa, publicada pelo JAMA Internal Medicine, foi avaliar se o uso de tramadol, quando comparado ao uso de codeína, está associado a um aumento do risco de hospitalização por hipoglicemia2.

Uma análise caso-controle aninhada foi realizada com informações do United Kingdom Clinical Practice Research Datalink ligado ao banco de dados do Hospital Episodes Statistics de todos os pacientes recém-tratados com tramadol ou codeína para a dor não oncológica, entre 1998 e 2012. Análises de coorte3 e de caso-cruzado também foram conduzidas para avaliar a consistência dos resultados.

Os casos de hospitalização por hipoglicemia2 foram pareados com até dez controles para idade, sexo e tempo de seguimento. O odds ratio (OR) e os intervalos de confiança de 95% (IC) foram estimados comparando o uso de tramadol ao uso de codeína. A análise de coorte3, com índices de propensão de alta dimensão ajustada de escore de risco (HR) e IC 95%, foi realizada comparando tramadol com codeína nos primeiros trinta dias após o início do tratamento. Finalmente, uma análise de caso cruzado também foi realizada, no qual a exposição ao tramadol em um período de risco de trinta dias imediatamente antes da internação para a hipoglicemia2 foi comparado a onze períodos consecutivos de controle de trinta dias. O ORs e os ICs de 95% foram estimados usando análise de regressão logística condicional.

O estudo incluiu 334.034 doentes, dos quais 1.105 foram hospitalizados por hipoglicemia2 durante o seguimento (incidência4 de 0,7 por mil por ano), combinados a 11.019 controles. Comparado à codeína, o uso de tramadol foi associado a um aumento do risco de hospitalização por hipoglicemia2 (OR 1,52 [IC 95% 1,09-2,10]), particularmente elevado nos primeiros trinta dias de uso (OR 2,61 [IC 95% 1,61-4,23]). Estes trinta dias de aumento do risco foi confirmado na análise de coorte3 (HR 3,60 [IC 95%, 1,56-8,34]) e na análise de caso-cruzado (OR 3,80 [IC 95% 2,64-5,47]).

Concluiu-se que o início da terapia com o tramadol está associado a um risco aumentado de hipoglicemia2 requerendo hospitalização. Estudos adicionais são necessários para confirmar esse evento adverso raro, mas potencialmente fatal.

Fonte: JAMA Internal Medicine, publicação online de 8 de dezembro de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. JAMA: tramadol e o risco de hospitalização por hipoglicemia em pacientes com dor não oncológica. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/702222/jama-tramadol-e-o-risco-de-hospitalizacao-por-hipoglicemia-em-pacientes-com-dor-nao-oncologica.htm>. Acesso em: 14 nov. 2019.

Complementos

1 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
2 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
3 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!