Gostou do artigo? Compartilhe!

Mulheres com baixo risco cardiovascular pelo escore de Framingham e com história familiar de doença coronariana precoce têm alta prevalência de aterosclerose coronariana subclínica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia


A pesquisa da equipe de Baltimore usou a tomografia computadorizada1 com multidetector para mostrar a calcificação2 das artérias3 coronarianas em 102 mulheres assintomáticas com idade entre 47 e 58 anos que tinham irmãos ou irmãs com doença cardíaca antes dos 60 anos. Baseado na FRE para risco de evento cardiovascular nos próximos dez anos, as participantes foram classificadas como risco baixo (<10%) (n=100), risco intermediário (10%-20%) (n=2) ou alto risco (>20%) (n=0). Aterosclerose4 subclínica significativa foi definida, após ajustes de idade e sexo, como percentil 75 para escores de calcificação2 de artérias3 coronarianas (CAC).

Ninety-eight percent were at low risk (mean FRE of only 2% ± 2%). However, 40% had detectable CAC, 12% had CAC >100, and 6% had CAC ≥ 400. Based on CAC score percentiles, 32% had significant subclinical atherosclerosis and 17% ranked above the 90th percentile.

De acordo com os resultados do estudo publicados na edição de dezembro do American Heart Journal, 98% das mulheres tinham baixo risco pela FRE. Entretanto, 40% tinham CAC detectável, 12% tinham CAC > 100 e 6% CAC > 400. Baseado nos escores de CAC, 32% têm aterosclerose4 subclínica significativa e 17% estavam acima do percentil 90.

Entre as mulheres classificadas de baixo risco pela FRE, um terço têm aterosclerose4 subclínica significativa. A história familiar de doença cardiovascular precoce na família parece ser um forte fator de risco5 que pode permitir um screening não invasivo para adequar um tratamento mais agresssivo para prevenção primária do que o atualmente recomendado.

As vantagens adicionais do estudo de imagem é que aumenta a motivação para que as pacientes pratiquem exercícios físicos regulares, melhorem sua dieta e aceitem um regime de medicações mais agressivo.

Fonte: American Heart Journal.

NEWS.MED.BR, 2005. Mulheres com baixo risco cardiovascular pelo escore de Framingham e com história familiar de doença coronariana precoce têm alta prevalência de aterosclerose coronariana subclínica. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/852/mulheres-com-baixo-risco-cardiovascular-pelo-escore-de-framingham-e-com-historia-familiar-de-doenca-coronariana-precoce-tem-alta-prevalencia-de-aterosclerose-coronariana-subclinica.htm>. Acesso em: 24 jan. 2021.

Complementos

1 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
2 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
3 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
4 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
5 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
Gostou do artigo? Compartilhe!