Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: consumo de frutas frescas reduz risco para as principais doenças cardiovasculares na China

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em populações ocidentais, um maior consumo de frutas tem sido associado a um menor risco de doença cardiovascular, mas pouco se sabe sobre tais associações na China, onde o nível de consumo de frutas é baixo e as taxas de acidente vascular cerebral1 são elevadas. Para conhecer melhor esta associação foi realizado um estudo chinês, com publicação no The New England Journal of Medicine (NEJM).

Entre 2004 e 2008, foram recrutados 512.891 adultos, de 30 a 79 anos de idade, a partir de dez localidades na China. Durante 3,2 milhões de pessoas-ano de acompanhamento, 5.173 mortes por doença cardiovascular, 2.551 casos novos dos principais eventos coronarianos (fatais ou não), 14.579 acidentes vasculares2 cerebrais isquêmicos e 3.523 hemorragias3 intracerebrais foram registrados entre os 451.665 participantes que não tinham história de doença cardiovascular ou de tratamentos anti-hipertensivos no início do estudo.

No geral, 18% dos participantes relataram consumir frutas frescas diariamente. Em comparação com os participantes que nunca ou raramente consumiam frutas frescas (a categoria "não-consumo"), aqueles que comeram frutas frescas diariamente tinham pressão arterial sistólica4 mais baixa (4,0 mm Hg) assim como os níveis de glicose5 no sangue6 (0,5 mmol por litro [9,0 mg por decilitro]) (P<0,001 para a tendência para as duas comparações). As taxas de risco ajustadas para consumo diário contra o não-consumo eram de 0,60 (intervalo de confiança de 95% [IC] 0,54-0,67) para a morte cardiovascular e 0,66, 0,75 e 0,64, respectivamente, para casos novos dos principais eventos coronarianos, acidente vascular cerebral1 isquêmico7 e acidente vascular cerebral1 hemorrágico8.

Houve uma forte relação dose-resposta entre a incidência9 de cada resultado e a quantidade de fruta fresca consumida. Estas associações foram semelhantes em todas as dez regiões envolvidas no estudo e em subgrupos de participantes definidos por características basais.

Concluiu-se que entre os adultos chineses, um maior nível de consumo de frutas foi associado a níveis mais baixos de pressão arterial10 e de glicose5 no sangue6 e, em grande parte independente destes e de outros fatores dietéticos e não dietéticos, a riscos significativamente mais baixos das principais doenças cardiovasculares11.

 

Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), de 7 de abril de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. NEJM: consumo de frutas frescas reduz risco para as principais doenças cardiovasculares na China. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/825719/nejm-consumo-de-frutas-frescas-reduz-risco-para-as-principais-doencas-cardiovasculares-na-china.htm>. Acesso em: 11 nov. 2019.

Complementos

1 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
2 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
3 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
4 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
5 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
8 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!