Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: doxiciclina melhor do que azitromicina no tratamento da infecção urogenital por Chlamydia trachomatis

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A infecção1 urogenital2 por Chlamydia trachomatis continua a prevalecer e a causar morbidade3 reprodutiva substancial. Estudos recentes alertam para uma preocupação sobre a eficácia da azitromicina para o tratamento da infecção1 por clamídia.

Foi realizado um estudo randomizado4 comparando o uso oral de azitromicina com o uso de doxiciclina para o tratamento da infecção1 urogenital2 por clamídia entre adolescentes, para avaliar a não inferioridade da azitromicina (1 grama5 em dose única) em relação à doxiciclina (100 mg, duas vezes ao dia, durante 7 dias). O tratamento foi observado diretamente. O desfecho primário foi a falha de tratamento em 28 dias após o início do medicamento, com falha do tratamento determinada com base no teste de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN), história sexual e genotipagem de cepas6 de C. trachomatis pela proteína da membrana externa A (OmpA).

Entre os 567 participantes inscritos, 284 foram randomizados para receber azitromicina e 283 foram aleatoriamente designados para receber doxiciclina. Um total de 155 participantes em cada grupo de tratamento (65% do sexo masculino) formou a população por protocolo. Não houve falhas do tratamento no grupo da doxiciclina. No grupo de azitromicina, a falha do tratamento ocorreu em cinco participantes (3,2%; com intervalo de confiança de 95% de 0,4 a 7,4%). A diferença observada nas taxas de falhas entre os grupos de tratamento foi de 3,2 pontos percentuais, com um limite superior do intervalo de confiança de 90% de 5,9 pontos percentuais, o que excedeu o ponto de corte absoluto pré-especificado de 5,0 pontos percentuais para estabelecer a não inferioridade da azitromicina.

Concluiu-se que no contexto de uma população fechada recebendo tratamento diretamente observado para a infecção1 urogenital2 por clamídia, a eficácia da azitromicina foi de 97% e a eficácia da doxiciclina foi de 100%. A não inferioridade de azitromicina não foi estabelecida neste cenário.

Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), de 24 de dezembro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. NEJM: doxiciclina melhor do que azitromicina no tratamento da infecção urogenital por Chlamydia trachomatis. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/814754/nejm-doxiciclina-melhor-do-que-azitromicina-no-tratamento-da-infeccao-urogenital-por-chlamydia-trachomatis.htm>. Acesso em: 22 out. 2019.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Urogenital: Na anatomia geral, é a região relativa aos órgãos genitais e urinários; geniturinário.
3 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
4 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
5 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
6 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
Gostou do artigo? Compartilhe!