Gostou do artigo? Compartilhe!

Uso de medicamentos estimulantes por jovens com TDAH atrapalha o sono?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para determinar o efeito de medicamentos estimulantes sobre o sono de jovens com diagnóstico1 de transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) foi realizada uma meta-análise com estudos publicados no CINAHL, PsycINFO e PubMed até março de 2015. As referências dos artigos recuperados foram revisadas.

Os critérios de elegibilidade incluíram estudos com crianças/adolescentes com déficit de atenção/hiperatividade (TDAH), atribuição aleatória de estimulantes e medidas objetivas do sono. Estudos que não incluíam informações sobre as principais variáveis foram excluídos.

Após análises estatísticas, os resultados mostraram que um total de nove artigos (n=246) foi incluído. Para a latência2 do sono, o tamanho do efeito ajustado (0,54) foi significativo, indicando que os estimulantes produzem latências mais longas para o início do sono. A frequência da dose diária é um moderador significativo. Para a eficiência do sono, o tamanho do efeito ajustado (-0,32) foi significativo. Moderadores significativos incluíam período de tempo em uso da medicação, o número de noites de sono avaliadas, a polissonografia3/actigrafia4 e gênero. Especificamente, o efeito da medicação foi menos evidente quando os jovens estavam em uso da medicação por mais tempo. Para o tempo total de sono, o tamanho do efeito (-0,59) foi significativo, de modo que os estimulantes levaram à duração mais curta do sono.

Concluiu-se que a medicação estimulante levou à maior latência2 (levar mais tempo para conseguir dormir), pior eficiência e duração mais curta do sono. No geral, os jovens tiveram pior sono com o uso de medicamentos estimulantes. Recomenda-se que os pediatras acompanhem atentamente os problemas do sono nesses pacientes e ajustem o tratamento para promover um sono ideal para crianças e adolescentes. Uma alternativa é suspender a terceira dose do dia, sempre que possível.

O transtorno do déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurocomportamental comum que ocorre em aproximadamente 7% das crianças e adolescentes e o uso de medicação estimulante é o tratamento mais comum desta condição. Estimativas recentes indicam que cerca de 3,5 milhões de crianças nos Estados Unidos usam este tipo de medicamento.

Fonte: Pediatrics, novembro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Uso de medicamentos estimulantes por jovens com TDAH atrapalha o sono?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/812244/uso-de-medicamentos-estimulantes-por-jovens-com-tdah-atrapalha-o-sono.htm>. Acesso em: 25 jan. 2020.

Complementos

1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
2 Latência: 1. Estado, caráter daquilo que se acha latente, oculto. 2. Por extensão de sentido, é o período durante o qual algo se elabora, antes de assumir existência efetiva. 3. Em medicina, é o intervalo entre o começo de um estímulo e o início de uma reação associada a este estímulo; tempo de reação. 4. Em psicanálise, é o período (dos quatro ou cinco anos até o início da adolescência) durante o qual o interesse sexual é sublimado; período de latência.
3 Polissonografia: Exame utilizado na avaliação de algumas das causas de insônia.
4 Actigrafia: Ela estima parâmetros do sono, tais como tempo total de sono, início e fim do sono, tempo de vigília após início do sono, eficiência e latência do sono. Como é uma estimativa, não é considerada padrão ouro para analisar o sono.
Gostou do artigo? Compartilhe!