Atalho: 5JPZTSO
Gostou do artigo? Compartilhe!

Colesterol varia durante ciclo menstrual, em estudo do Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O objetivo do estudo, publicado pelo Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, foi observar a associação entre o estrogênio endógeno e as variações das lipoproteínas ao longo do ciclo menstrual. Observou-se um efeito benéfico deste hormônio1 no perfil lipídico2.

Estudo prospectivo3 de coorte4, realizado na University at Buffalo, incluiu 259 mulheres saudáveis, com ciclos menstruais regulares e com idades entre 18 e 44 anos. Os níveis de colesterol5 total, HDL colesterol6, LDL colesterol7 e triglicérides8 foram medidos mais de oito vezes durante cada ciclo menstrual por mais de dois ciclos.

Os níveis de colesterol5 total e LDL9 ficam mais baixos durante a fase lútea, comparados às suas medidas na fase folicular, e os níveis de HDL10 são mais altos perto da ovulação11, quando acontece o pico do estradiol durante o ciclo menstrual. Mais mulheres são classificadas acima das taxas de referência (LDL9 130 mg/dL12 ou colesterol5 acima de 200 mg/dL12) quando as medidas são realizadas durante a fase folicular.

Concluiu-se que o estrogênio endógeno, assim como o exógeno, parece ter efeitos benéficos sobre o perfil lipídico2. Como o colesterol5 varia ao longo do ciclo menstrual, considerações sobre as variações cíclicas nos níveis das lipoproteínas podem ser necessárias para interpretação de estudos na idade reprodutiva feminina e no manejo clínico do colesterol5 das mulheres.

Fonte: Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism – Publicação online de 9 de junho de 2010

NEWS.MED.BR, 2010. Colesterol varia durante ciclo menstrual, em estudo do Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/69087/colesterol-varia-durante-ciclo-menstrual-em-estudo-do-journal-of-clinical-endocrinology-and-metabolism.htm>. Acesso em: 14 dez. 2019.

Complementos

1 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
2 Perfil lipídico: Exame laboratorial que mede colesterol total, triglicérides, HDL. O LDL é calculado por estes resultados. O perfil lipídico é uma das medidas de risco para as doenças cardiovasculares.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
6 HDL colesterol: Do inglês high-density-lipoprotein cholesterol, ou colesterol de alta densidade. Também chamado de bom colesterol.
7 LDL colesterol: Do inglês low-density lipoprotein cholesterol, colesterol de baixa densidade ou colesterol ruim.
8 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
9 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
10 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
11 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
12 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
Gostou do artigo? Compartilhe!