Gostou do artigo? Compartilhe!

Sepse aumenta risco pós-operatório de trombose arterial e venosa: grande estudo prospectivo de coorte publicado pelo BMJ

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Foi realizado um estudo prospectivo1 de coorte2 usando o banco de dados do National Surgical Quality Improvement Program do American College of Surgeons (ACS-NSQIP) incluindo procedimentos hospitalares e ambulatoriais em 374 hospitais de todos os tipos nos Estados Unidos, entre 2005 a 2012. Participaram do estudo 2.305.380 adultos que foram submetidos a procedimentos cirúrgicos.

As principais medidas de interesse foram a ocorrência de trombose3 arterial (infarto do miocárdio4 ou acidente vascular cerebral5) e trombose3 venosa (trombose venosa profunda6 ou embolia7 pulmonar) nos 30 dias após a cirurgia.

Entre todos os procedimentos cirúrgicos, os pacientes com síndrome8 da resposta inflamatória sistêmica pré-operatória ou qualquer tipo de sepse9 tiveram três vezes mais chances de ter uma trombose3 arterial ou venosa pós-operatória (razão de possibilidades ou odds ratio 3,1; intervalo de confiança de 95% 3,0-3,1). As razões de possibilidades ajustadas foram de 2,7 (2,5 a 2,8) para a trombose3 arterial e 3,3 (3,2-3,4) para a trombose3 venosa. As razões de possibilidades ajustadas para a trombose3 foi de 2,5 (2,4 a 2,6) em pacientes com síndrome8 da resposta inflamatória sistêmica; 3,3 (3,1 a 3,4) em pacientes com sepse9 e 5,7 (5,4-6,1) em pacientes com sepse9 grave, em comparação com os pacientes sem qualquer inflamação10 sistêmica. Em pacientes com sepse9 pré-operatória, ambos os procedimentos cirúrgicos eletivos11 e de emergência12 tiveram um aumento de duas vezes na probabilidade de trombose3.

As conclusões mostram que a sepse9 pré-operatória representa um importante fator de risco13 independente para tromboses14 arteriais e venosas. O risco de trombose3 aumenta com a gravidade da resposta inflamatória e é mais elevado em procedimentos cirúrgicos eletivos11 e de emergência12. A suspeita de trombose3 deve ser alta em pacientes com sepse9 submetidos à cirurgia.

Fonte: BMJ, de 8 de setembro de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. Sepse aumenta risco pós-operatório de trombose arterial e venosa: grande estudo prospectivo de coorte publicado pelo BMJ. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/567927/sepse-aumenta-risco-pos-operatorio-de-trombose-arterial-e-venosa-grande-estudo-prospectivo-de-coorte-publicado-pelo-bmj.htm>. Acesso em: 18 fev. 2020.

Complementos

1 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
2 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
3 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
4 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
5 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
7 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
8 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
9 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
11 Eletivos: 1. Relativo à eleição, escolha, preferência. 2. Em medicina, sujeito à opção por parte do médico ou do paciente. Por exemplo, uma cirurgia eletiva é indicada ao paciente, mas não é urgente. 3. Cujo preenchimento depende de eleição (diz-se de cargo). 4. Em bioquímica ou farmácia, aquilo que tende a se combinar com ou agir sobre determinada substância mais do que com ou sobre outra.
12 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
13 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
14 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
Gostou do artigo? Compartilhe!