Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: Trombólise na embolia pulmonar e o risco de mortalidade por qualquer causa, hemorragia grave e hemorragia intracraniana

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A terapia trombolítica pode ser benéfica no tratamento de alguns pacientes com embolia1 pulmonar. Até o momento, nenhuma análise apresentou poder estatístico adequado para determinar se a terapia trombolítica está associada à melhora da sobrevida2 em comparação com a anticoagulação convencional.

Foi realizada uma meta-análise com o objetivo de determinar os benefícios e os riscos da mortalidade3 por sangramentos associada à terapia trombolítica em comparação com a anticoagulação na embolia1 pulmonar aguda, incluindo pacientes hemodinamicamente estáveis com disfunção ventricular direita (embolia1 pulmonar de risco intermediário).

As fontes de dados foram do PubMed, Biblioteca Cochrane, EMBASE, EBSCO, bancos de dados da Web of Science e CINAHL desde seu princípio até 10 abril de 2014.

A seleção de estudos elegíveis foram ensaios clínicos4 randomizados que comparam a terapia trombolítica versus a terapia anticoagulante5 em pacientes com embolia1 pulmonar. Foram identificados dezesseis ensaios compreendendo 2.115 indivíduos. Oito estudos com 1.775 pacientes especificavam a inclusão de pacientes com embolia1 pulmonar de risco intermediário.

Dois revisores independentes extraíram os dados de testes, incluindo o número de pacientes, as características do paciente, a duração do acompanhamento e os resultados.

Os resultados primários foram mortalidade3 por todas as causas e por hemorragias6 graves. Os desfechos secundários foram o risco de embolia1 recorrente e hemorragia7 intracraniana.

Concluiu-se que entre os pacientes com embolia1 pulmonar, incluindo aqueles que estavam hemodinamicamente estáveis com disfunção ventricular direita, a terapia trombolítica foi associada a menores taxas de mortalidade3 por todas as causas e aumento do risco de hemorragia7 grave e hemorragia7 intracraniana. No entanto, os resultados podem não se aplicar a pacientes com embolia1 pulmonar que estejam hemodinamicamente estáveis sem disfunção ventricular direita.

Fonte: JAMA, volume 311, número 23, de 18 de junho de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. JAMA: Trombólise na embolia pulmonar e o risco de mortalidade por qualquer causa, hemorragia grave e hemorragia intracraniana. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/548752/jama-trombolise-na-embolia-pulmonar-e-o-risco-de-mortalidade-por-qualquer-causa-hemorragia-grave-e-hemorragia-intracraniana.htm>. Acesso em: 16 jun. 2021.

Complementos

1 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
2 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
5 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
6 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
7 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!