Atalho: 58TITUG
Gostou do artigo? Compartilhe!

American Diabetes Association recomenda a A1C como critério diagnóstico do diabetes mellitus

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Publicado como suplemento do periódico Diabetes1 Care de janeiro de 2010, o protocolo Standards of Medical Care in Diabetes1 diz que o exame da hemoglobina glicada2 (A1C3) passa a ser recomendado como meio diagnóstico4 do diabetes mellitus5 e identificação de casos de pré-diabetes6. Este exame é recomendado há anos para verificar como está o controle dos níveis glicêmicos de pacientes diabéticos ao longo do tempo, mas até então não era considerado um critério diagnóstico4 da doença.

Ao contrário de muitas doenças crônicas, o diabetes tipo 27 pode ser prevenido com  mudanças no estilo de vida, enquanto os níveis glicêmicos encontram-se no estado de pré-diabetes6.

A A1C3 é medida em porcentagem. O exame faz a média dos níveis glicêmicos ao longo de um período de cerca de 3 meses. Uma pessoa sem diabetes1 pode ter uma A1C3 de cerca de 5%.

Pelas novas recomendações, as quais são publicadas anualmente para refletir as mais novas pesquisas científicas, valores de A1C3 entre 5,7 e 6,4 % indicam que os níveis glicêmicos estão no estado de pré-diabetes6. Isto significa que estão acima do normal, mas ainda não tão altos para fazer o diagnóstico4 de diabetes mellitus5. Este diagnóstico4 é feito com níveis de A1C3 iguais ou superiores a 6,5%.

A American Diabetes1 Association recomenda que a maioria das pessoas com diabetes1 deve manter os níveis de A1C3 igual ou abaixo de 7% para um controle adequado desta patologia8. As pesquisas mostram que o controle da glicemia9 ajuda a prevenir sérios danos à saúde10 relacionados ao diabetes1, como doenças renais, danos aos nervos, doenças da retina11 (retinopatia diabética12) e doenças cardíacas.

A A1C3 vai se juntar a dois outros testes diagnósticos prévios, a glicemia de jejum13 e o teste oral de tolerância à glicose14 (TOTG15). Ambos exigem horas de jejum para coleta do sangue16 a ser examinado. Já a A1C3 não necessita de jejum prévio, aumentando a disposição para a realização do exame e reduzindo o número de pessoas que têm diabetes tipo 27 e não estão recebendo o diagnóstico4. O diagnóstico4 precoce pode fazer uma enorme diferença na evolução do diabetes mellitus5 e na qualidade de vida dos portadores desta condição.

Fonte consultada:

American Diabetes1 Association

NEWS.MED.BR, 2010. American Diabetes Association recomenda a A1C como critério diagnóstico do diabetes mellitus. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/53945/american-diabetes-association-recomenda-a-a1c-como-criterio-diagnostico-do-diabetes-mellitus.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.

Complementos

1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Hemoglobina glicada: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
3 A1C: O exame da Hemoglobina Glicada (A1C) ou Hemoglobina Glicosilada é um teste laboratorial de grande importância na avaliação do controle do diabetes. Ele mostra o comportamento da glicemia em um período anterior ao teste de 60 a 90 dias, possibilitando verificar se o controle glicêmico foi efetivo neste período. Isso ocorre porque durante os últimos 90 dias a hemoglobina vai incorporando glicose em função da concentração que existe no sangue. Caso as taxas de glicose apresentem níveis elevados no período, haverá um aumento da hemoglobina glicada. O valor de A1C mantido abaixo de 7% promove proteção contra o surgimento e a progressão das complicações microvasculares do diabetes (retinopatia, nefropatia e neuropatia).
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
5 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
6 Pré-diabetes: Condição em que um teste de glicose, feito após 8 a 12 horas de jejum, mostra um nível de glicose mais alto que o normal mas não tão alto para um diagnóstico de diabetes. A medida está entre 100 mg/dL e 125 mg/dL. A maioria das pessoas com pré-diabetes têm um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2.
7 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
8 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
9 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
12 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
13 Glicemia de jejum: Teste que checa os níveis de glicose após um período de jejum de 8 a 12 horas (frequentemente dura uma noite). Este teste é usado para diagnosticar o pré-diabetes e o diabetes. Também pode ser usado para monitorar pessoas com diabetes.
14 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
15 TOTG: Teste oral de tolerância à glicose ou Curva glicêmica.
16 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

05/05/2010 - Complemento feito por eunicealves
Re: American Diabetes Association recomenda a A1C como critério diagnóstico do diabetes mellitus
costaria de acradecer essas materia maravilhosas ki vc publicao

23/01/2010 - Complemento feito por Ana
Re: American Diabetes Association recomenda a A1C como critério diagnóstico do diabetes mellitus
Olá,
Sou técnica de enfermagem e tenho também graduação em enfermagem trabalho na área há muitos anos.
Quero aqui parabenizar pelas informações que só acrescentam em minha vida profissional.
Grata.

22/01/2010 - Complemento feito por almerinda
Re: American Diabetes Association recomenda a A1C como critério diagnóstico do diabetes mellitus
tenho que agradecer a grande ajuda de voces passam a nos diabeticos.
por tudo isso muito obrigada.

20/01/2010 - Complemento feito por lena
Re: American Diabetes Association recomenda a A1C como critério diagnóstico do diabetes mellitus
só tenho que agradecer pelas informaçoes que voces nos passa,sou diabetica do tipo 2 faço acompanhamento medico há 11 anos.
Com muito sucesso pois tenho um otimo medico,egosto de receber informaçoes e novidades sobre diabetes.
Porque com isso estamos sempre por dentro das novidades.
MUITO OBRIGADO
ABRAÇOS

  • Entrar
  • Assinar