Gostou do artigo? Compartilhe!

Os cinco dedos das mãos podem ajudar a evitar doenças cardiovasculares em diabéticos tipo 2, em publicação da American Family Physician

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

No breve tempo de consulta que um clínico geral tem com um paciente com diabetes mellitus1 tipo 2 ele deve enfatizar cinco principais intervenções para reduzir o risco de doença cardiovascular (DCV) em diabéticos. Os dedos da mão2 podem ajudar na memorização de tais necessidades, de acordo com recente editorial publicado na revista American Family Physician.

Os autores propõem comunicar um plano de cinco passos para os pacientes, usando o símbolo de uma mão2 aberta para auxiliar a memorização. A partir do polegar em direção ao dedo mínimo, cada dígito retrata uma intervenção na ordem decrescente de benefício: cessação do tabagismo (polegar), controle da pressão arterial3 (dedo indicador), terapia com metformina4 (dedo médio), redução dos lipídios (dedo anelar) e controle glicêmico (dedo mínimo).

Evidências recentes confirmam que um controle glicêmico muito rigoroso pode até mesmo ser prejudicial à saúde5. A principal autora do estudo, Deborah R. Erlich, da Tufts University School of Medicine, em Boston, não tem certeza se esta ideia será plenamente aceita, especialmente porque as companhias de seguros tendem a se concentrar excessivamente na hemoglobina glicosilada6 (HbA1c7) como um indicador da qualidade dos cuidados médicos com os diabéticos. Isso não quer dizer que o controle glicêmico não seja importante, mas que também há outras intervenções fundamentais para melhorar a qualidade de vida desses pacientes.

Atrasos na terapêutica8 com metformina4 podem levar a mortes prematuras independente de seu efeito sobre os níveis de glicose9. Esta medicação deve ser prescrita para pacientes10 com sobrepeso11 e diabetes tipo 212, a menos que seja contraindicada. Baixar os níveis de colesterol13, de preferência com mudança no estilo de vida e terapia com estatina, aumenta a sobrevida14 em até 3,4 anos nos homens e em até 2,4 anos nas mulheres. Um nível de glicose9 no sangue15 em jejum de menos do que 200 mg/dL16 é razoável nestes pacientes. Um plano de tratamento deve centrar-se no controle dos sintomas17 de hiperglicemia18 em conjunto com as preferências individuais dos pacientes. Isto está nas novas diretrizes da American Diabetes19 Association e da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes19 (European Association for the Study of Diabetes19), que também propõem uma meta de HbA1c7 menos rigorosa, de menos de 8% para os pacientes com diabetes tipo 212 e que têm comorbidades20.

A mão2 é um símbolo muito útil para se concentrar no que realmente previne ataques cardíacos e acidentes vasculares21 cerebrais. Os médicos não devem deixar que a preocupação com níveis glicêmicos ideais seja mais importante do que as outras intervenções que afetam mais profundamente a mortalidade22, como por exemplo parar de fumar.

Fonte: American Family Physician, volume 89, número 4, de 15 de fevereiro de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Os cinco dedos das mãos podem ajudar a evitar doenças cardiovasculares em diabéticos tipo 2, em publicação da American Family Physician. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/530369/os-cinco-dedos-das-maos-podem-ajudar-a-evitar-doencas-cardiovasculares-em-diabeticos-tipo-2-em-publicacao-da-american-family-physician.htm>. Acesso em: 19 set. 2019.

Complementos

1 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
2 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
3 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
4 Metformina: Medicamento para uso oral no tratamento do diabetes tipo 2. Reduz a glicemia por reduzir a quantidade de glicose produzida pelo fígado e ajudando o corpo a responder melhor à insulina produzida pelo pâncreas. Pertence à classe das biguanidas.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Hemoglobina glicosilada: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
7 HbA1C: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
8 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
9 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
10 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
11 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
12 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
13 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
14 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
15 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
16 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
19 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
20 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
21 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
22 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!