Atalho: 6LXLKLS
Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: cirurgia bariátrica pode ser mais eficaz do que outros cuidados para prevenir o diabetes tipo 2

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A perda de peso protege contra o diabetes tipo 21, mas é difícil manter a modificação comportamental necessária à prevenção. Em uma análise de dados de um estudo não-randomizado2, prospectivo3, controlado, que examinou os efeitos da cirurgia bariátrica4 sobre a prevenção do diabetes tipo 21, concluiu-se que a cirurgia bariátrica4 parece ser mais eficaz do que os cuidados habitualmente usados na prevenção do diabetes tipo 21 em pessoas obesas.

Nesta análise, publicada pelo periódico The New England Journal of Medicine (NEJM), foram incluídos 1.658 pacientes submetidos à cirurgia bariátrica4 e 1.771 obesos para o grupo controle (com harmonização realizada em grupo, e não em nível individual). Nenhum dos participantes tinha diabetes5 no início do estudo. Os pacientes do grupo submetido à cirurgia bariátrica4 fizeram cirurgia de banda gástrica ajustável (19%), gastroplastia vertical (69%) ou bypass gástrico (12%). O grupo controle recebeu os cuidados habituais de prevenção. Os participantes tinham de 37 a 60 anos de idade e o índice de massa corporal6 (IMC7) era de 34 kg/m² ou mais, em homens, e 38 kg/m² ou mais, em mulheres. Esta análise concentrou-se sobre a taxa de incidência8 de diabetes tipo 21. No momento da análise (janeiro de 2012), os participantes tinham sido acompanhados por até 15 anos. Apesar da correspondência, algumas características basais diferiram significativamente entre os grupos, o peso corporal inicial foi maior e os fatores de risco foram mais pronunciados no grupo que fez a cirurgia bariátrica4, quando comparado ao grupo controle. No décimo quinto ano de seguimento, 36,2% dos participantes tinham abandonado o estudo e 30,9% ainda não tinham alcançado o tempo para realização do exame de acompanhamento.

Durante o período de acompanhamento, 392 participantes do grupo de controle e 110 no grupo de cirurgia bariátrica4 desenvolveram diabetes tipo 21, correspondendo a taxas de incidência8 de 28,4 casos por 1000 pessoas/ano e 6,8 casos por 1000 pessoas/ano, respectivamente. A mortalidade9 pós-operatória foi de 0,2%. Dos pacientes que se submeteram à cirurgia bariátrica4, 2,8% necessitaram ser reoperados no prazo de 90 dias, devido a complicações.

A cirurgia bariátrica4 parece ser mais eficaz do que os cuidados habitualmente empregados na prevenção do diabetes5 de tipo 2 em pessoas obesas.

Fonte: NEJM, de 23 de agosto de 2012 

NEWS.MED.BR, 2012. NEJM: cirurgia bariátrica pode ser mais eficaz do que outros cuidados para prevenir o diabetes tipo 2. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/316000/nejm-cirurgia-bariatrica-pode-ser-mais-eficaz-do-que-outros-cuidados-para-prevenir-o-diabetes-tipo-2.htm>. Acesso em: 20 jan. 2021.

Complementos

1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Cirurgia Bariátrica:
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
6 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!