Atalho: 66TND88
Gostou do artigo? Compartilhe!

Dieta rica em fibras evita a síndrome metabólica em adolescentes americanos, publicado pelo Journal of the American Dietetic Association

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Ainda não há consenso se a baixa ingestão de gordura saturada1 ou de colesterol2, ou o consumo elevado de fibras alimentares estão relacionados a uma menor prevalência3 de síndrome metabólica4 (SM) em adolescentes. O presente estudo mostrou que é mais importante uma dieta rica em fibras, para evitar a síndrome metabólica4, do que uma dieta com baixa ingestão de gorduras saturadas5 ou de colesterol2.

O estudo National Health and Nutrition Examination Survey 1999-2002 incluiu adolescentes de ambos os sexos, com idades entre 12 a 19 anos (n=2.128).

Uma análise transversal foi realizada para determinar se uma dieta rica em fibras, medida por um índice de fibra (gramas de fibra/1.000 kcal) versus uma dieta com pouca ingestão de gordura saturada1 ou colesterol2, medida por um índice de gordura saturada1 (gramas de gordura saturada1/1.000 kcal) e um índice de colesterol2 (miligramas de colesterol2/1.000 kcal), respectivamente, está associada a menores taxas de síndrome metabólica4 entre adolescentes.

A prevalência3 de síndrome metabólica4 (valores anormais de três ou mais dos seguintes: circunferência da cintura, pressão arterial6, colesterol2, triglicérides7 e glicose8) foi comparada a uma divisão dos índices alimentares (índice de fibra, índice de gordura saturada1 e índice de colesterol2).

A prevalência3 global de SM foi de 6,4% (n = 138). Houve uma associação inversa entre o índice de fibras ingeridas e a síndrome metabólica4 (P < 0,001). Nem o índice de gordura saturada1 (P = 0,87), nem o índice de colesterol2 (P = 0,22) foram estatisticamente significativos na associação com a SM.

Concluiu-se que, quanto maior o consumo de fibras alimentares, menor a prevalência3 da síndrome metabólica4 entre os adolescentes avaliados. Estes achados sugerem que, para reduzir os riscos de síndrome metabólica4 nesta faixa etária, é mais importante enfatizar um paradigma que promova a inclusão de fibras na dieta do que focar na baixa ingestão de gordura9 total, colesterol2 ou de gordura saturada1.

Fonte: Journal of the American Dietetic Association, volume 111, de novembro de 2011

 

NEWS.MED.BR, 2011. Dieta rica em fibras evita a síndrome metabólica em adolescentes americanos, publicado pelo Journal of the American Dietetic Association. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/247005/dieta-rica-em-fibras-evita-a-sindrome-metabolica-em-adolescentes-americanos-publicado-pelo-journal-of-the-american-dietetic-association.htm>. Acesso em: 22 out. 2019.

Complementos

1 Gordura saturada: Ela é encontrada principalmente em produtos de origem animal. Em temperatura ambiente, apresenta-se em estado sólido. Está nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves e peixes), leite e seus derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê.
2 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
3 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
4 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
5 Gorduras saturadas: Elas são encontradas principalmente em produtos de origem animal. Em temperatura ambiente, apresentam-se em estado sólido. Estão nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves e peixes), leite e seus derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê.
6 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
7 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
8 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
9 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!