Gostou do artigo? Compartilhe!

American Diabetes Association pode recomendar a inclusão da audiometria na rotina de exames anuais dos diabéticos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Artigo de Bainbridge e colaboradores, publicado no Annals of Internal Medicine, relata o aumento no risco de perda auditiva neuro-sensorial em pacientes com história de diabetes1. O estudo utilizou dados da pesquisa National Health and Nutrition Examination Survey. O grau da perda varia de leve a moderado, causando déficits que, apesar de difíceis de detectar, levam a prejuízos substanciais de comunicação. Também foi encontrada uma importante associação entre diabetes1 e perda auditiva em jovens. 

 

Pesquisas mostram um maior risco de perda auditiva em diabéticos, mas outros fatores como exposição a ruídos, síndromes que afetam o metabolismo2 da glicose3 e a função coclear e o uso de drogas ototóxicas dificultam o estabelecimento desta associação. Atualmente, não há uma recomendação formal para incluir no screening de diabéticos um exame que verifique a perda auditiva nesses pacientes.

 

O artigo publicado revela algumas diretivas potenciais para pesquisas futuras sobre perda auditiva em diabéticos. Há uma possível relação entre os níveis de glicose3 no soro4, perilinfa e endolinfa que precisa ser melhor investigada. Estudos atuais mostram que o controle glicêmico protege das complicações renais e retinianas da diabetes1, mas será que também protege da perda auditiva?

 

Quais são as implicações clínicas da perda auditiva relacionada ao diabetes1? Baseado no presente estudo, a American Diabetes1 Association pode recomendar que seja incluída uma audiometria5 nos exames anuais rotineiros dos diabéticos. É uma intervenção de baixo custo que pode ajudar na recomendação de atitudes benéficas à qualidade de vida dos pacientes, com melhoria da comunicação, produtividade e segurança.

 

A fisiopatologia6 que leva à perda auditiva em diabéticos ainda não está estabelecida. Uma possível explicação pode ser a hiperglicemia7, causando doença microvascular8 na cóclea. Apesar de vários exames poderem localizar a lesão9 - possível causadora da perda auditiva -, não há um equivalente coclear da fundoscopia (exame de fundo de olho10) conferindo uma limitação para confirmar os danos à microcirculação do ouvido.

 

Dois estudos prévios indicam que as Emissões Otoacústicas por Produtos de Distorção podem mostrar perdas auditivas mais precoces em pacientes diabéticos, com maior sensibilidade do que a audiometria5 para detectar disfunção coclear.

 

Fonte: Annals of Internal Medicine - Volume 149

NEWS.MED.BR, 2008. American Diabetes Association pode recomendar a inclusão da audiometria na rotina de exames anuais dos diabéticos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/19170/american-diabetes-association-pode-recomendar-a-inclusao-da-audiometria-na-rotina-de-exames-anuais-dos-diabeticos.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
3 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
4 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
5 Audiometria: Método utilizado para estudar a capacidade e acuidade auditivas perante diferentes freqüências sonoras.
6 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
7 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
8 Doença microvascular: Doença dos pequenos vasos, como as encontradas nos olhos, nervos e rins. As paredes dos vasos encontram-se espessadas mas fracas. Sangram, perdem proteína e diminuem o fluxo sangüíneo às células.
9 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Fundo de olho: Fundoscopia, oftalmoscopia ou exame de fundo de olho é o exame em que se visualizam as estruturas do segmento posterior do olho (cabeça do nervo óptico, retina, vasos retinianos e coroide), dando atenção especialmente a região central da retina, denominada mácula. O principal aparelho utilizado pelo clínico para realização do exame de fundo de olho é o oftalmoscópio direto. O oftalmologista usa o oftalmoscópio indireto e a lâmpada de fenda.
Gostou do artigo? Compartilhe!