Atalho: 5TJDCM3
Gostou do artigo? Compartilhe!

Em pessoas com hipotireoidismo subclínico, níveis de TSH acima de 10 mUI/L podem predizer aumento do risco de doenças coronarianas e mortalidade

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O hipotireoidismo1 subclínico é caracterizado por aumento dos níveis de TSH, níveis normais de hormônios tireoidianos e ausência de sintomas2 clínicos do hipotireoidismo1. Ele é muito prevalente, ocorrendo em 4-10% dos adultos. Estudos observacionais identificaram associações entre hipotireoidismo1 subclínico e hiperlipidemia3 e outros fatores de risco para aterosclerose4. Entretanto, não está claro se esta condição está associada ao aumento do risco para eventos cardiovasculares e mortalidade5.

Foi realizada uma meta-análise para avaliar associações significativas entre hipotireoidismo1 subclínico e risco para eventos cardiovasculares e mortalidade5. Os resultados mostraram que aqueles indivíduos com hipotireoidismo1 subclínico com valores de TSH acima de 10 mUI/L ou TSH entre 7.0-9.9 mUI/L apresentavam maior risco para doenças cardiovasculares6. O hipotireoidismo1 subclínico não aumentou o risco de mortalidade5 geral.

A maioria dos protocolos de tratamento recomenda o tratamento desta patologia7 quando os níveis de TSH estão acima de 10mUI/L, para aliviar o aparecimento dos sintomas2 leves e prevenir a progressão para o hipotireoidismo1 clínico, além de aliviar o risco cardiovascular. Entretanto, há controvérsias sobre a necessidade de tratamento para elevações mais discretas do TSH. O presente estudo sugere que para elevações discretas do TSH (abaixo de 7.0 mUI/L) o tratamento pode não ser necessário, pelo menos no que diz respeito à prevenção dos riscos para eventos cardiovasculares.

Novos estudos clínicos são necessários para determinar os efeitos do tratamento com hormônios tireoidianos e os riscos para doenças cardiovasculares6.

Fonte: BMJ

NEWS.MED.BR, 2011. Em pessoas com hipotireoidismo subclínico, níveis de TSH acima de 10 mUI/L podem predizer aumento do risco de doenças coronarianas e mortalidade. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/173347/em-pessoas-com-hipotireoidismo-subclinico-niveis-de-tsh-acima-de-10-mui-l-podem-predizer-aumento-do-risco-de-doencas-coronarianas-e-mortalidade.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Hiperlipidemia: Condição em que os níveis de gorduras e colesterol estão mais altos que o normal.
4 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
7 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
Gostou do artigo? Compartilhe!