Gostou do artigo? Compartilhe!

MicroRNAs são usados para o desenvolvimento de teste que avalia sítio primário de tumores com origem desconhecida

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

 

Pesquisadores israelenses, da empresa Rosetta Genomics, informam estar desenvolvendo um teste que usa microRNAs para identificar a origem de tumores malignos espalhados pelo organismo que não têm um sítio primário conhecido.


Existem tumores malignos que aparecem em uma localização metastásica sem um sítio primário conhecido, eles são denominados "câncer1 de origem desconhecida" ou CUP, na sigla em inglês.


O CUP representa 3 a 5 por cento dos cânceres diagnosticados anualmente nos Estados Unidos, de acordo com a Sociedade Americana de Clínica Oncológica. Pacientes com este tipo de tumor2 têm um prognóstico3 reservado, com sobrevida4 média de 5 a 6 meses e índice de sobrevivência5 em um ano menor que 25%.


Identificar a origem primária de um câncer1 é fator-chave para o tratamento e para o prognóstico3 do paciente, já que as quimioterapias são específicas para os tipos tumorais.


Os exames disponíveis até o momento são usados para tentar identificar o tumor2 primário. Isto inclui exame físico, análises histopatológicas de biópsias6, métodos de imagem como radiografia, tomografia computadorizada7, PET scans e endoscopias gastrointestinais. Esses exames são caros e desconfortáveis para o paciente, além disso a habilidade em definir o sítio tumoral é estimada em apenas 20-30% dos casos.


A equipe de pesquisadores da Rosetta Genomics espera identificar um painel de biomarcadores baseado em microRNAs para melhorar a capacidade de identificação de sítios tumorais nos casos do CUP. Os microRNAs são tecido8-específicos e podem ser biomarcadores promissores de sítios tumorais primários.

 

Este teste será encaminhado no final deste ano para aprovação pelo U.S. Food and Drug Administration - órgão dos Estados Unidos que regulamenta novos medicamentos.


Fonte: Rosetta Genomics

 

NEWS.MED.BR, 2008. MicroRNAs são usados para o desenvolvimento de teste que avalia sítio primário de tumores com origem desconhecida. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/15210/micrornas-sao-usados-para-o-desenvolvimento-de-teste-que-avalia-sitio-primario-de-tumores-com-origem-desconhecida.htm>. Acesso em: 23 out. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
3 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
4 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
5 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
6 Biópsias: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
7 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
8 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
Gostou do artigo? Compartilhe!