Gostou do artigo? Compartilhe!

Comprometimento cognitivo no diabetes pode aumentar o risco de doença cardiovascular

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma análise recente de pacientes com diabetes tipo 21 descobriu que aqueles com comprometimento cognitivo2 estavam em maior risco de desfechos cardiovasculares adversos.

A análise do estudo REWIND foi financiada pela Eli Lilly and Company. Os resultados do estudo, publicados no The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, sugerem que a presença de comprometimento cognitivo2 entre pacientes com diabetes3 foi associada a um risco 1,6 vezes maior de eventos cardiovasculares adversos maiores e um risco 1,8 vezes maior de acidente vascular cerebral4 ou mortalidade5 em comparação com os seus homólogos sem comprometimento cognitivo2.

“Nosso estudo descobriu que pontuações baixas em testes cognitivos6 previam doenças cardíacas em pessoas com diabetes3 e outros fatores de risco cardíacos”, disse o pesquisador do estudo Hertzel C. Gerstein, MD, professor de medicina da Faculdade de Ciências da Saúde7 da Universidade McMaster, em um comunicado. “Embora a explicação para isso permaneça incerta, medicamentos comprovados para o coração8 devem ser oferecidos a esses pacientes para reduzir o risco futuro de ataque cardíaco ou derrame”.

Leia sobre "Diabetes Mellitus9", "Complicações do diabetes10" e "Doenças cardiovasculares11".

No artigo publicado os pesquisadores contextualizam que escores cognitivos6 baixos são fatores de risco para desfechos cardiovasculares. Se essa relação é mais forte usando novos índices cognitivos6 é desconhecido.

Participantes do estudo Researching Cardiovascular Events with a Weekly Incretin in Diabetes3 (REWIND) que completaram tanto o escore Montreal Cognitive Assessment (MoCA) quanto o Teste de Substituição de Dígitos (DSST) na linha de base (N = 8.772) foram incluídos.

Esses escores foram usados para identificar participantes com comprometimento cognitivo2 substantivo (CCS) de linha de base, definido como um escore de linha de base no MoCA ou DSST ≥1,5 DP abaixo da média específica do país do escore, ou média geométrica (MG) do CCS, que foi baseada em um índice composto de ambos os escores calculados como sua média geométrica, e definida como uma pontuação que foi  ≥1,5 DP abaixo da MG média do país.

As relações entre essas medidas e eventos cardiovasculares adversos maiores (ECAM) incidentes12 e acidente vascular cerebral4 ou morte foram analisadas.

Em comparação com 7.867 (89,7%) participantes não afetados, os 905 (10,3%) participantes com CCS basal tiveram uma maior incidência13 de ECAM (taxa de risco [HR] não ajustada 1,34; IC 95% 1,11, 1,62; P = 0,003) e acidente vascular cerebral4 ou morte (HR não ajustada 1,60; IC 95% 1,33, 1,91; P <0,001).

Relações mais fortes foram observadas para MG do CCS e ECAM (HR não ajustada 1,61; IC 95% 1,28, 2,01; P <0,001) e acidente vascular cerebral4 ou morte (HR não ajustada 1,85; IC 95% 1,50, 2,30; P <0,001).

Para MG do CCS, mas não para CCS, todas essas relações permaneceram significativas em modelos ajustados para até 10 fatores de risco de CCS.

O estudo concluiu que a média geométrica do comprometimento cognitivo2 substantivo padronizada pelo país foi um forte preditor independente de eventos cardiovasculares em pessoas com diabetes tipo 21 no estudo REWIND.

Veja também sobre "Distúrbio neurocognitivo" e "Quando a perda de memória não é normal".

 

Fontes:
The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, publicação em 21 de abril de 2022.
Practical Cardiology, notícia publicada em 25 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Comprometimento cognitivo no diabetes pode aumentar o risco de doença cardiovascular. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1416160/comprometimento-cognitivo-no-diabetes-pode-aumentar-o-risco-de-doenca-cardiovascular.htm>. Acesso em: 8 dez. 2022.

Complementos

1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
9 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
10 Complicações do diabetes: São os efeitos prejudiciais do diabetes no organismo, tais como: danos aos olhos, coração, vasos sangüíneos, sistema nervoso, dentes e gengivas, pés, pele e rins. Os estudos mostram que aqueles que mantêm os níveis de glicose do sangue, a pressão arterial e o colesterol próximos aos níveis normais podem ajudar a impedir ou postergar estes problemas.
11 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
12 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
13 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!