Gostou do artigo? Compartilhe!

Cirurgia bariátrica traz benefícios cardíacos no longo prazo independente da idade e do estado de diabetes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os benefícios cardiovasculares da cirurgia bariátrica1 foram reforçados por um grande estudo de coorte2 nacional de idosos nos Estados Unidos.

Os principais eventos cardiovasculares adversos foram significativamente reduzidos entre 94.885 pacientes do Medicare que receberam tratamento cirúrgico para obesidade3 grave em comparação com controles pareados em uma média de 4 anos de acompanhamento:

A cirurgia bariátrica1 pareceu ser protetora neste grupo menos estudado de pessoas com mais de 65 anos, bem como pessoas sem histórico de diabetes8, relataram os pesquisadores liderados por Amgad Mentias, MD, da Cleveland Clinic, em Ohio, no estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology.

No geral, o número necessário para tratar para prevenir um evento cardiovascular adverso importante ao longo de 3 anos foi de apenas 15 pacientes, observaram.

Saiba mais sobre "Cirurgia bariátrica1: o que é", "Tratando a obesidade3" e "Doenças cardiovasculares9".

Este estudo está de acordo com pesquisas anteriores consideravelmente mais limitadas em escopo por tipo de paciente e geografia, que demonstraram os benefícios cardíacos e vasculares10 da cirurgia bariátrica1 com base em dados observacionais.

“Entre as ferramentas disponíveis para combater a epidemia de obesidade3, a cirurgia bariátrica1 demonstrou ser um dos tratamentos mais eficazes não apenas para perda de peso na obesidade3 de classe III, mas também para melhorar a saúde11 e os resultados cardiovasculares”, escreveram Tiffany Powell-Wiley, MD, e colegas do National Heart, Lung, and Blood Institute do NIH em um editorial que acompanhou a publicação do estudo.

No entanto, a cirurgia bariátrica1 ainda é usada em menos de 1% dos potenciais candidatos, observaram Mentias e colegas.

Estratégias são necessárias para reduzir as barreiras à cirurgia bariátrica1 para comunidades de cor e populações com poucos recursos que experimentam as maiores taxas de obesidade3, que são as menos propensas a se submeter a procedimentos bariátricos, destacou o grupo de Powell-Wiley.

No artigo publicado, os pesquisadores contextualizam que o efeito a longo prazo da cirurgia bariátrica1 nos desfechos cardiovasculares na população idosa não está bem estudado. Por isso, o objetivo do estudo foi avaliar a associação entre cirurgia bariátrica1 e desfechos cardiovasculares de longo prazo na população do programa Medicare.

Os beneficiários do Medicare que se submeteram à cirurgia bariátrica1 de 2013 a 2019 foram pareados com um grupo controle de pacientes com obesidade3 com uma correspondência exata de 1:1 com base em idade, sexo, índice de massa corporal12 e pontuação de propensão em 87 variáveis clínicas.

Os resultados do estudo incluíram mortalidade4 por todas as causas, insuficiência cardíaca5 (IC), infarto do miocárdio6 (IM) e acidente vascular cerebral7 isquêmico13. Uma análise de variável instrumental foi realizada como uma análise de sensibilidade.

A coorte14 do estudo incluiu 189.770 pacientes (94.885 pacientes pareados em cada grupo). Pelo desenho do estudo, os 2 grupos tinham idade (média: 62,33 ± 10,62 anos), sexo (70% feminino) e grau de obesidade3 (índice de massa corporal12 médio: 44,7 ± 7,3 kg/m²) semelhantes e estavam bem equilibrados em todas as variáveis clínicas.

Após um acompanhamento médio de 4,0 anos (IQR: 2,4-5,7 anos), a cirurgia bariátrica1 foi associada a um menor risco de mortalidade4 (9,2 vs 14,7 por 1.000 pessoas-ano; HR: 0,63; IC 95%: 0,60-0,66), IC de início recente (HR: 0,46; IC 95%: 0,44-0,49), IM (HR: 0,63; IC 95%: 0,59-0,68) e acidente vascular cerebral7 (HR: 0,71; IC 95%: 0,65-0,79) (P <0,001).

O benefício da cirurgia bariátrica1 foi evidente em pacientes com 65 anos ou mais. Usando análise de variáveis instrumentais, a cirurgia bariátrica1 foi associada a um menor risco de mortalidade4, insuficiência cardíaca5 e infarto do miocárdio6.

Leia sobre "Tipos de Cirurgia Bariátrica1", "Sete passos para um coração15 saudável" e "Repercussões cardíacas da obesidade3".

 

Fontes:
Journal of the American College of Cardiology, Vol. 79, Nº 15, em abril de 2022.
MedPage Today, notícia publicada em 11 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Cirurgia bariátrica traz benefícios cardíacos no longo prazo independente da idade e do estado de diabetes. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1414715/cirurgia-bariatrica-traz-beneficios-cardiacos-no-longo-prazo-independente-da-idade-e-do-estado-de-diabetes.htm>. Acesso em: 8 ago. 2022.

Complementos

1 Cirurgia Bariátrica:
2 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
3 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
6 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
7 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
8 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
9 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
10 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
13 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
14 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
15 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
Gostou do artigo? Compartilhe!