Gostou do artigo? Compartilhe!

Pesquisadores estão um passo mais perto de reverter o processo destrutivo de envelhecimento dos óvulos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em grande parte do mundo, um número cada vez maior de mulheres está adiando o nascimento do primeiro filho até os trinta e tantos anos, ou mesmo os quarenta. Nessa idade, seus óvulos estão se deteriorando rapidamente e, mesmo com a fertilização1 in vitro, suas perspectivas de concepção2 estão longe de ser garantidas.

Reverter essa deterioração é o objetivo final do biólogo molecular Dr. Michael Klutstein, da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel. Essa possibilidade agora está mais próxima com pesquisas recentes de seu laboratório, em que eles e seus colegas descobriram como esse mecanismo que envelhece os óvulos funciona e conseguiram revertê-lo com um antiviral inicialmente criado para o tratamento da AIDS, a Zidovudina ou AZT. As descobertas foram publicadas no periódico científico Aging Cell.

No experimento com o uso do antiviral, os pesquisadores conseguiram recuperar gametas3 envelhecidos e elevar sua maturação em até 28,6%.

Leia sobre "Conceitos ligados à reprodução4 humana", "Fertilização1 in vitro: como é o procedimento" e "Como é uma gravidez5 tardia".

Nos humanos, os óvulos começam a acumular danos ao seu material genético quando a mulher é relativamente jovem. Muitas vezes, quando ela chega aos trinta e poucos anos, seus óvulos acumulam tantos danos ao DNA que são incapazes de amadurecer e ser fertilizados. A equipe do Dr. Klutstein identificou com sucesso um dos processos de envelhecimento que impedem a maturação bem-sucedida de um óvulo6. O mais importante entre eles é a perda dos processos de regulação que normalmente impedem que as partes prejudiciais do DNA se tornem ativas.

No artigo, intitulado “Perda de heterocromatina e silenciamento de retrotransposão como determinantes no envelhecimento oocitário”, os pesquisadores investigaram sobre a diminuição da qualidade dos oócitos de mamíferos com a idade.

Eles mostraram que antes da ocorrência de aneuploidia7 significativa (9M em camundongo), as marcas de histonas de heterocromatina são perdidas e a maturação do oócito8 é prejudicada. Essa perda ocorre tanto em marcas de heterocromatina constitutivas quanto facultativas, mas não em marcas ativas eucromáticas. Mostrou-se que a perda de heterocromatina com a idade também ocorre em oócitos humanos presos em prófase I.

Além disso, a perda de heterocromatina é acompanhada em oócitos de camundongos por um aumento no processamento de RNA e associada a uma elevação na expressão de retrotransposões9 de L1 e IAP e na localização nuclear de danos no DNA e proteínas10 de reparo do DNA.

A inibição artificial da maquinaria da heterocromatina em oócitos jovens causa uma elevação na expressão do retrotransposão e defeitos na maturação do oócito8. A inibição da transcriptase reversa do retrotransposão através do tratamento com azidotimidina (AZT) em oócitos mais velhos resgata parcialmente seus defeitos de maturação e a atividade da maquinaria de reparo do DNA.

Além disso, a ativação da maquinaria da heterocromatina por meio do tratamento com a molécula ativadora de SIRT1 SRT-1720, ou a superexpressão de Sirt1 ou Ezh2 via eletroporação de plasmídeo em oócitos mais velhos causa uma regulação positiva da heterocromatina constitutiva, regulação negativa da expressão de retrotransposão e taxas de maturação elevadas.

Coletivamente, esse trabalho demonstra um processo significativo no envelhecimento do oócito8, caracterizado pela perda das marcas de cromatina11 associadas à heterocromatina e ativação de retrotransposões9 específicos, que causam danos ao DNA e prejudicam a maturação do oócito8.

Veja também sobre "Reprodução4 assistida", "Infertilidade12 feminina" e "Indutores da ovulação13".

 

Fontes:
Aging Cell, publicação em 15 de fevereiro de 2022.
News Medical, notícia publicada em 08 de março de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Pesquisadores estão um passo mais perto de reverter o processo destrutivo de envelhecimento dos óvulos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1413255/pesquisadores-estao-um-passo-mais-perto-de-reverter-o-processo-destrutivo-de-envelhecimento-dos-ovulos.htm>. Acesso em: 2 out. 2022.

Complementos

1 Fertilização: Contato entre espermatozóide e ovo, determinando sua união.
2 Concepção: O início da gravidez.
3 Gametas: Células reprodutoras encontradas em organismos multicelulares.
4 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
7 Aneuploidia: Aneuplóide é a celula que teve o seu material genético alterado, sendo portadora de um número cromossômico diferente do normal da espécie. Podendo ter uma diminuição ou um aumento do número de pares de cromossomos, porém não de todos. As mais comuns são: trissomia (três cromossomos ao invés de dois) ou monossomia (um cromossomo ao invés de dois).
8 Oócito: Oócito ou ovócito, é cada uma das células que, por meio de divisões meióticas, dão origem ao óvulo.
9 Retrotransposões: Elementos genéticos que se podem amplificar a eles próprios em um genoma, sendo componentes frequentes em muitos organismos eucariotas. São uma subclasse de transposões, particularmente abundantes em plantas, onde muitas vezes são o principal componente do ADN nuclear.
10 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
11 Cromatina: Também conhecida como cariotina. É a substância constituinte do cromossomo da célula eucarionte e composta de ADN, ARN e proteínas.
12 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
13 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
Gostou do artigo? Compartilhe!