Gostou do artigo? Compartilhe!

Baixa função pulmonar está associada a pior saúde física e cognitiva

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A capacidade pulmonar é um marcador mensurável simples da saúde1 pulmonar. A baixa função pulmonar está associada a alta mortalidade2 e desfechos cardiopulmonares adversos. Menos se sabe sobre sua associação com índices de saúde1 mais amplos, como sintomas3 respiratórios autorrelatados, percepção geral de saúde1 e desempenho cognitivo4 e físico.

O presente estudo, publicado pela revista PLOS Medicine, buscou abordar a associação entre o volume expiratório forçado no primeiro segundo5 (VEF1), um indicador da função pulmonar, com marcadores amplos de saúde1 geral, relevantes para a trajetória do envelhecimento na população geral.

Saiba mais sobre "O que é respirar normalmente" e "O que é espirometria6 e para que ela serve".

Da população geral canadense, 22.822 adultos (58% do sexo feminino, idade média de 58,8 anos [desvio padrão {DP} 9,6]) foram inscritos a partir da comunidade, de 11 cidades canadenses e 7 províncias, entre junho de 2012 e abril de 2015.

A regressão de efeitos mistos foi usada para avaliar a relação transversal entre VEF1 com sintomas3 respiratórios autorrelatados, percepção de saúde1 geral ruim e desempenho cognitivo4 e físico. Todas as associações foram ajustadas para idade, sexo, índice de massa corporal7 (IMC8), escolaridade, tabagismo e comorbidades9 autorrelatadas e expressas como odds ratio ajustado (aORs).

Com base nos valores de referência da Global Lung Function Initiative (GLI), 38% (n = 8.626) tinham VEF1 normal (z-scores >0), 37% (n = 8.514) levemente baixo (z-score 0 a >-1 DP), 19% (n = 4.353) moderadamente baixo (z-score -1 a >-2 DP) e 6% (n = 1.329) VEF1 gravemente baixo (z-score = <-2 DP).

Houve uma associação gradual entre menor VEF1 com maior aOR [IC 95%] de sintomas3 respiratórios moderados a graves autorreferidos (VEF1 leve 1,09 [0,99 a 1,20] p = 0,08, moderado 1,45 [1,28 a 1,63] p<0,001, e grave 2,67 [2,21 a 3,23] p<0,001]), percepção de saúde1 ruim (leve 1,07 [0,9 a 1,27] p = 0,45, moderado 1,48 [1,24 a 1,78] p <0,001 e grave 1,82 [1,42 a 2,33] p<0,001]) e desempenho cognitivo4 prejudicado (leve 1,03 [0,95 a 1,12] p = 0,41, moderado 1,16 [1,04 a 1,28] p<0,001 e grave 1,40 [1,19 a 1,64] p<0,001]).

Associação graduada semelhante foi observada entre menor VEF1 com menor desempenho físico na velocidade da marcha, teste Timed Up and Go (TUG), equilíbrio em pé e força de preensão manual.

Essas associações foram consistentes em diferentes estratos por idade, sexo, tabagismo, comprometimento obstrutivo e não obstrutivo na espirometria6. Uma limitação do presente estudo é a natureza observacional desses achados e que a causalidade não pode ser inferida.

Observou-se, portanto, associações graduais entre VEF1 mais baixo com maiores chances de sintomas3 respiratórios incapacitantes, percepção de saúde1 geral ruim e menor desempenho cognitivo4 e físico. Esses achados apoiam as implicações mais amplas da medida da função pulmonar na saúde1 geral e na trajetória do envelhecimento.

Leia sobre "O processo de envelhecimento", "Doença pulmonar obstrutiva crônica" e "Fisioterapia10 respiratória".

 

Fonte: PLOS Medicine, publicação em 09 de fevereiro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Baixa função pulmonar está associada a pior saúde física e cognitiva. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1412050/baixa-funcao-pulmonar-esta-associada-a-pior-saude-fisica-e-cognitiva.htm>. Acesso em: 25 mai. 2022.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Desempenho cognitivo: Desempenho dos processos de aprendizagem e de aquisição de conhecimento através da percepção.
5 Volume Expiratório forçado no primeiro segundo: É o volume de ar expirado num segundo. Ele é reduzido nos doentes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), pois estes necessitam de mais tempo para expirarem completamente.
6 Espirometria: Exame que permite aferir o fluxo de ar nas vias aéreas ou brônquios, comparando os resultados com os obtidos por pessoas saudáveis com a mesma idade e altura. Serve para a investigação de sintomas respiratórios; diagnóstico e avaliação de asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) ou bronquite causada pelo cigarro; incapacidade funcional; avaliação pós-operatória e avaliação e diagnóstico de doenças respiratórias relacionadas ao trabalho. O exame têm duração média de 30 minutos.
7 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
9 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
10 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
Gostou do artigo? Compartilhe!