Gostou do artigo? Compartilhe!

Tratamento das paralisias do nervo facial com laser e endermoterapia: pacientes recuperaram os movimentos do rosto e a simetria facial

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A paralisia1 do nervo facial2 envolve paralisia1 de origem desconhecida causada por trauma, doença infecciosa ou distúrbios metabólicos.

O objetivo deste estudo foi empregar a terapia a laser de baixa intensidade (TLBI) na recuperação de dois pacientes com paralisia1 do nervo facial2 por trauma e paralisia1 de Bell (PB), respectivamente.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, e publicado na revista científica Laser Physics Letters. Aplicações de laser e vácuo reverteram a paralisia1 facial sem uso de medicamentos. Os pacientes que participaram da pesquisa recuperaram os movimentos do rosto e a simetria facial. Os pesquisadores acreditam que a técnica pode substituir o uso de corticoides, droga usada para tratar o problema, mas que apresenta contraindicações.

A técnica inovadora testada na pesquisa foi a endermoterapia, também conhecida como vacuoterapia. “Ela foi usada em conjunto com o laser de baixa potência”, relata o dentista Vitor Panhóca, pesquisador do Laboratório de Biofotônica do IFSC e primeiro autor do trabalho. “O método consiste em aplicar o laser e pressão negativa nos tecidos através de ventosas sobre a pele3 e músculos4 que apresentam paralisia1 na face5.”

Leia sobre "O que é paralisia1 facial", "Paralisia1 de Bell" e "O laser tratando lesões6 de pele3".

A TLBI foi usada com um laser arseneto de gálio e alumínio (780 nm) no primeiro caso e no segundo caso a TLBI (660 nm e 808 nm) foi usada sinergicamente com um aparelho de terapia a vácuo. Nenhum medicamento foi administrado durante o tratamento com laser e terapia a vácuo.

Os tratamentos resultaram em recuperação completa e expressão facial normal em ambos os pacientes, incluindo melhora do movimento facial e simetria facial em repouso.

Com esse resultado em mente, os pesquisadores acreditam que a terapia a laser de baixa intensidade e a terapia a vácuo combinada podem ser uma alternativa de tratamento para diminuir o tempo de recuperação da expressão facial em pacientes normais com paralisia1 do nervo facial2 e paralisia1 de Bell.

 

Fontes:
Laser Physics Letters, publicação em 07 de dezembro de 2020.
Jornal da USP, notícia publicada em 24 de fevereiro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Tratamento das paralisias do nervo facial com laser e endermoterapia: pacientes recuperaram os movimentos do rosto e a simetria facial. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1390100/tratamento-das-paralisias-do-nervo-facial-com-laser-e-endermoterapia-pacientes-recuperaram-os-movimentos-do-rosto-e-a-simetria-facial.htm>. Acesso em: 14 mai. 2021.

Complementos

1 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
2 Nervo facial:
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
5 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
6 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.

Artigos selecionados

Gostou do artigo? Compartilhe!