Gostou do artigo? Compartilhe!

Tomografia computadorizada para rastreamento de câncer de pulmão é uma chance oportuna de verificação de osteoporose

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A prevalência1 de osteoporose2 e a incidência3 de fratura4 por fragilidade na China aumentaram acentuadamente nas últimas três décadas. Dados recentes relatam uma prevalência1 de osteoporose2 de 29,1% em mulheres e 6,5% em homens com idade >50 anos, o que equivale a uma prevalência1 populacional estimada de 49,3 milhões e 10,9 milhões, respectivamente.

A tomografia computadorizada5 de tórax6 de baixa dosagem para rastreamento de câncer7 de pulmão8 oferece a oportunidade de examinar simultaneamente os pacientes para osteoporose2, detectando taxas notavelmente mais altas de osteoporose2 em homens do que a ferramenta tradicional de absorciometria de raios-X de dupla energia (DXA), mostra uma nova pesquisa publicada no Journal of Bone and Mineral Research.

"Nosso estudo multicêntrico em grande escala de densidade óssea medida a partir de tomografias computadorizadas de baixa dose de rotina demonstrou o grande potencial do uso de tomografia computadorizada5 de baixa dose para o rastreamento oportunista da osteoporose2 como uma alternativa aos exames DXA padrão", disse o autor sênior9 Wei Tian, MD, da Academia Chinesa de Engenharia e da Escola de Medicina da Universidade de Pequim, em uma declaração à imprensa publicada no jornal.

"Nosso estudo revelou a prevalência1 inesperadamente alta de osteoporose2 em homens, o que pode impactar a estratégia de tratamento dos homens no futuro", acrescentou Tian.

Saiba mais sobre "Osteoporose2", "Fratura4 espontânea" e "Tomografia computadorizada5".

Portanto, o rastreamento oportunista para osteoporose2 pode ser realizado usando imagens de tomografia computadorizada5 de baixa dose (TCBD) obtidas para outras indicações clínicas. Neste estudo, os pesquisadores exploraram a densidade mineral óssea (DMO) derivada da TC e a prevalência1 de osteoporose2 a partir da TCBD torácica em uma grande coorte10 populacional de homens e mulheres chineses.

Um total de 69.095 adultos (40.733 homens e 28.362 mulheres) receberam uma TCBD torácica para fins de rastreamento do câncer7 de pulmão8 entre 2018 e 2019, e os dados foram obtidos para análise do China Biobank Project, um estudo populacional multicêntrico nacional prospectivo11.

A densidade mineral óssea volumétrica (DMOv) trabecular da coluna lombar (L1-L2) foi derivada dessas varreduras usando software de tomografia computadorizada5 quantitativa (TCQ) e os critérios de diagnóstico12 por TCQ para osteoporose2 do American College of Radiology foram aplicados. Foram avaliadas diferenças geográficas regionais na prevalência1 de osteoporose2 e a prevalência1 populacional de osteoporose2 padronizada por idade em homens e mulheres chineses foi estimada a partir do censo de 2010 na China.

A prevalência1 de osteoporose2 por TCQ para a população chinesa com idade >50 anos foi de 29,0% para mulheres e 13,5% para homens, equivalente a 49,0 milhões e 22,8 milhões, respectivamente.

Nas mulheres, essa taxa é comparável às estimativas da absorciometria de raios-X de dupla energia (DXA), mas nos homens a prevalência1 é o dobro.

A prevalência1 variou geograficamente na China, com taxas mais altas no sudoeste e taxas mais baixas no nordeste. A DMOv trabecular diminuiu com a idade em homens e mulheres. As mulheres tiveram maior pico de DMOv trabecular (185,4 mg/cm³) do que os homens (176,6 mg/cm³) na idade de 30 a 34 anos, mas mulheres mais velhas tiveram DMOv trabecular mais baixa (62,4 mg/cm³3) do que os homens (92,1 mg/cm³) na idade de 80 anos.

O estudo mostrou que a triagem oportunística baseada em tomografia computadorizada5 de baixa dose pode identificar um grande número de pacientes com baixa densidade mineral óssea volumétrica lombar, e que estudos de coorte13 futuros são agora necessários para avaliar a utilidade clínica de tal triagem em termos de prevenção de fraturas e apoio a análises econômicas nacionais de saúde14.

Leia sobre "Fratura4 óssea", "Prevenção da osteoporose2" e "Densitometria15 óssea".

 

Fontes:
Journal of Bone and Mineral Research, publicação em 04 de novembro de 2020.
Medscape, notícia publicada em 11 de novembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Tomografia computadorizada para rastreamento de câncer de pulmão é uma chance oportuna de verificação de osteoporose. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1383193/tomografia-computadorizada-para-rastreamento-de-cancer-de-pulmao-e-uma-chance-oportuna-de-verificacao-de-osteoporose.htm>. Acesso em: 14 mai. 2021.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
3 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
4 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
5 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
6 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
9 Sênior: 1. Que é o mais velho. 2. Diz-se de desportistas que já ganharam primeiros prêmios: um piloto sênior. 3. Diz-se de profissionais experientes que já exercem, há algum tempo, determinada atividade.
10 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
11 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Estudos de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Densitometria: Medição de densidade óptica em chapas fotográficas.
Gostou do artigo? Compartilhe!