Gostou do artigo? Compartilhe!

PNAS: resposta do sistema circadiano humano à luz noturna é muito variável

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A iluminação elétrica alterou fundamentalmente a maneira como o relógio circadiano humano sincroniza com o ciclo dia/noite. A exposição à luz após o anoitecer está difundida no mundo moderno. Um trabalho publicado pelo periódico PNAS avaliou a sensibilidade do sistema circadiano em nível de grupo à luz noturna e o grau em que a sensibilidade varia entre os indivíduos.

Saiba mais sobre "Ritmo circadiano1" e "Melatonina".

Pesquisadores do Turner Institute for Brain and Mental Health, School of Psychological Sciences, Monash University, em Melbourne, na Austrália, descobriram que, em média, os seres humanos são altamente sensíveis à luz da noite. Especificamente, a supressão de 50% da melatonina ocorreu a <30 lux2, que é comparável ou inferior à iluminação interna típica usada à noite, bem como à luz produzida por dispositivos eletrônicos. Significativamente, houve uma diferença de 50 vezes na sensibilidade à luz da noite entre os indivíduos. Diferenças interindividuais na sensibilidade à luz podem explicar a vulnerabilidade diferencial à perturbação circadiana e subsequente impacto na saúde3 humana.

Antes da invenção da iluminação elétrica, os seres humanos eram expostos principalmente à luz ambiental intensa (>300 lux2) ou fraca (<30 lux2) — estímulos nas extremidades extremas da curva dose-resposta do sistema circadiano à luz. Hoje, os seres humanos passam horas por dia expostos a intensidades de luz intermediárias (30 a 300 lux2), particularmente à noite. Diferenças interindividuais na sensibilidade à luz noturna nessa faixa de intensidade poderiam, portanto, representar uma fonte de vulnerabilidade à interrupção circadiana pela iluminação moderna.

Este trabalho ajudou a caracterizar as curvas dose-resposta de nível individual à supressão de melatonina induzida pela luz usando um protocolo entre indivíduos. Cinquenta e cinco participantes (com idade entre 18 e 30 anos) foram expostos a um controle com pouca luz (<1 lux2) e a uma faixa de níveis experimentais de luz (10 a 2.000 lux2 por 5 horas) à noite. A supressão da melatonina foi determinada para cada nível de luz e a dose efetiva para 50% de supressão (ED50) foi calculada nos níveis individual e de grupo.

O ED50 montado em nível de grupo foi de 24,60 lux2, indicando que o sistema circadiano é altamente sensível à luz noturna em níveis internos típicos. Intensidades de luz de 10, 30 e 50 lux2 resultaram em início tardio da liberação de melatonina em 22, 77 e 109 minutos, respectivamente. Os valores de ED50 em nível individual variaram em uma ordem de grandeza (6 lux2 no indivíduo mais sensível, 350 lux2 no indivíduo menos sensível), com um coeficiente de variação de 26%.

Essas descobertas demonstram que o mesmo ambiente de luz noturna é registrado pelo sistema circadiano de maneira muito diferente entre os indivíduos. Essa variabilidade interindividual pode ser um fator importante para determinar o papel do relógio circadiano na saúde3 e na doença humana.

Leia também sobre "Ciclos de sono" e "Alimentos que ajudam e que dificultam o sono".

 

Fonte: PNAS, publicação online, em 28 de maio de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. PNAS: resposta do sistema circadiano humano à luz noturna é muito variável. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1339093/pnas-resposta-do-sistema-circadiano-humano-a-luz-noturna-e-muito-variavel.htm>. Acesso em: 15 dez. 2019.

Complementos

1 Ritmo circadiano: Também conhecido como ciclo circadiano, o ritmo circadiano representa o período de um dia (24 horas) no qual se completam as atividades do ciclo biológico dos seres vivos. Uma das funções deste sistema é o ajuste do relógio biológico, controlando o sono e o apetite. Através de um marca-passo interno que se encontra no cérebro, o ritmo circadiano regula tanto os ritmos materiais quanto os psicológicos, o que pode influenciar em atividade como: digestão em vigília, renovação de células e controle de temperatura corporal.
2 Lux: Lux ou “lx“ determina o fluxo luminoso emitido por uma fonte de luz que incide sobre uma superfície. Leva-se em consideração: a área do ambiente, a cor das paredes e a distância da luminária. Um lúmen pode iluminar o equivalente de um lux em um metro quadrado. O aparelho que fornece a medida do lux é o luxímetro, ele é muito utilizado por engenheiros e técnicos de segurança do trabalho para verificar se o ambiente oferece conforto e segurança aos trabalhadores.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!