Gostou do artigo? Compartilhe!

Associação entre consumo de bebidas adoçadas com açúcar ou artificialmente e risco de mortalidade é avaliada em estudo publicado pela Circulation

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Saber se o consumo de bebidas adoçadas com açúcar1 (SSBs) ou bebidas adoçadas artificialmente (ASBs) está associado ao maior risco de mortalidade2 é algo de interesse para a saúde3 pública. Por isso um estudo publicado pelo periódico Circulation examinou as associações entre o consumo de SSBs e ASBs com o risco de mortalidade2 total e por causa específica entre 37.716 homens do estudo Health Professional’s Follow-up (1986 a 2014) e 80.647 mulheres do estudo Nurses’ Health Study (1980 a 2014), que estavam livres de doenças crônicas no início do estudo. A regressão de riscos proporcionais de Cox foi usada para estimar as taxas de risco e os intervalos de confiança de 95%.

Foram documentadas 36.436 mortes (7.896 doenças cardiovasculares4 [DCV] e 12.380 mortes por câncer5) durante 3.415.564 pessoas-anos de acompanhamento.

Saiba mais sobre "Doenças cardiovasculares4".

Após o ajuste para os principais fatores de dieta e estilo de vida, o consumo de SSBs foi associado a um maior risco de mortalidade2 total; taxas de risco (intervalos de confiança de 95%) agrupadas entre as categorias divididas de acordo com quantidade de porções padronizadas consumidas (<1/mês, 1-4/mês, 2-6/semana, 1-<2/dia e ≥2/dia) foram 1,00 (referência), 1,01, 1,06, 1,14 e 1,21 (tendência de P<0,0001), respectivamente. A associação foi observada para mortalidade2 por DCV (razão de risco comparando categorias extremas foi de 1,31 [intervalo de confiança de 95%, 1,15-1,50], tendência de P<0,0001) e mortalidade2 por câncer5 (1,16 [1,04-1,29], tendência de P=0,0004).

ASBs foram associadas com mortalidade2 total e mortalidade2 por DCV apenas na categoria de maior ingestão; as taxas de risco agrupadas (intervalo de confiança de 95%) nas categorias foram 1,00 (referência), 0,96, 0,97, 0,98 e 1,04 (tendência de P=0,01) para mortalidade2 total e 1,00 (referência), 0,93, 0,95, 1,02 e 1,13 (tendência de P=0,02) para mortalidade2 por DCV.

Isso significa que, nessas duas grandes coortes norte-americanas, a ingestão de SSBs foi positivamente associada à mortalidade2 total, mostrando uma associação graduada de acordo com a dose, amplamente causada pela mortalidade2 por doença cardiovascular, e uma associação modesta foi observada para a mortalidade2 por câncer5.

Em uma análise específica de coorte6, os ASBs foram associados à mortalidade2 no NHS (Nurses 'Health Study), mas não no HPFS (Health Professionals Follow Up Study) (interação P= 0,01). Os ASBs não foram associados à mortalidade2 por câncer5 em nenhuma das coortes.

O consumo de SSBs foi positivamente associado com a mortalidade2 principalmente através da mortalidade2 por DCV e mostrou uma associação graduada de acordo com a dose. Já a associação positiva entre altos níveis de ingestão de ASBs e mortalidade2 total e por DCV observada entre mulheres requer confirmação adicional.

Esses resultados fornecem suporte adicional para recomendações e políticas para limitar a ingestão de SSBs e consumir ASBs com moderação para melhorar a saúde3 geral e a longevidade. Os ASBs poderiam ser usados para substituir os SSBs entre os consumidores habituais de SSBs, mas o maior consumo de ASBs deveria ser desencorajado. É importante que políticas e recomendações clínicas continuem a exigir reduções e limites na ingestão de SSBs, mas devem também abordar opções alternativas de bebidas, com ênfase no consumo de água.

Leia sobre "Prevenção do câncer5", "Síndrome metabólica7", "Comportamento da glicose8 no sangue9", e "Sete passos para um coração10 saudável".

 

Fonte: Circulation, março de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Associação entre consumo de bebidas adoçadas com açúcar ou artificialmente e risco de mortalidade é avaliada em estudo publicado pela Circulation. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1335683/associacao-entre-consumo-de-bebidas-adocadas-com-acucar-ou-artificialmente-e-risco-de-mortalidade-e-avaliada-em-estudo-publicado-pela-circulation.htm>. Acesso em: 23 abr. 2019.

Complementos

1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
7 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
8 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
Gostou do artigo? Compartilhe!