Gostou do artigo? Compartilhe!

L-glutamina na crise de dor da anemia falciforme, ensaio clínico publicado pelo The New England Journal of Medicine (NEJM)

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O estresse oxidativo contribui para a complexa fisiopatologia1 da doença falciforme. A terapia oral com L-glutamina de grau farmacêutico (USAN, glutamina) mostrou aumentar a proporção da forma reduzida de nicotinamida adenina dinucleotídeo em eritrócitos2 falciformes, o que provavelmente reduz o estresse oxidativo e pode resultar em menos episódios de dor na doença falciforme.

Saiba mais sobre "Anemia falciforme3".

Em um ensaio multicêntrico, aleatorizado, controlado por placebo4, em dupla ocultação, na fase 3, testou-se a eficácia da L-glutamina de grau farmacêutico (0,3 g por quilograma de peso corporal por dose) administrada duas vezes por dia, por via oral, em comparação com placebo4, na redução da incidência5 de crises de dor entre pacientes com anemia falciforme3 ou talassemia6 falciforme e uma história de duas ou mais crises de dor no ano anterior. Os pacientes que estavam recebendo hidroxiureia em uma dose que permaneceu estável por pelo menos 3 meses antes da triagem continuaram a terapia durante o período de tratamento de 48 semanas.

Um total de 230 pacientes (faixa etária de 5 a 58 anos; 53,9% mulheres) foram aleatoriamente designados, em uma proporção de 2:1, para receber L-glutamina (152 pacientes) ou placebo4 (78 pacientes). Os pacientes no grupo da L-glutamina tiveram significativamente menos crises de dor do que aqueles no grupo placebo4 (P=0,005), com uma mediana de 3,0 no grupo da L-glutamina e 4,0 no grupo do placebo4. Menos hospitalizações ocorreram no grupo da L-glutamina do que no grupo placebo4 (P=0,005), com uma mediana de 2,0 no grupo de L-glutamina e 3,0 no grupo de placebo4. Dois terços dos pacientes em ambos os grupos experimentais receberam hidroxiureia concomitante. Náusea7 de baixo grau, dor torácica não cardíaca, fadiga8 e dor musculoesquelética ocorreram com maior frequência no grupo da L-glutamina do que no grupo placebo4.

Concluiu-se que, entre crianças e adultos com anemia falciforme3, o número mediano de crises de dor ao longo de 48 semanas foi menor entre aqueles que receberam terapia oral com L-glutamina, administrada isoladamente ou com hidroxiureia, do que entre aqueles que receberam placebo4, com ou sem hidroxiureia.

Leia também sobre "Teste do Pezinho ou Triagem Neonatal" e "Anemias".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), em 19 de julho de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2018. L-glutamina na crise de dor da anemia falciforme, ensaio clínico publicado pelo The New England Journal of Medicine (NEJM). Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1322108/l-glutamina-na-crise-de-dor-da-anemia-falciforme-ensaio-clinico-publicado-pelo-the-new-england-journal-of-medicine-nejm.htm>. Acesso em: 19 out. 2018.

Complementos

1 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
2 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
3 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Talassemia: Anemia mediterrânea ou talassemia. Tipo de anemia hereditária, de transmissão recessiva, causada pela redução ou ausência da síntese da cadeia de hemoglobina, uma proteína situada no interior do glóbulos vermelhos e que tem a função de transportar o oxigênio. É classificada dentro das hemoglobinopatias. Afeta principalmente populações da Itália e da Grécia (e seus descendentes), banhadas pelo Mar Mediterrâneo.
7 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
8 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
Gostou do artigo? Compartilhe!