Gostou do artigo? Compartilhe!

Suplementos de vitaminas C, E ou beta caroteno trazem poucos benefícios para a prevenção de doenças cardiovasculares, segundo estudo publicado no Archives of Internal Medicine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo randomizado1 sobre o uso de vitaminas C, E e beta caroteno na prevenção secundária de eventos cardiovasculares em mulheres (Women's Antioxidant Cardiovascular Study) não consegue provar o efeito de suplementos vitamínicos antioxidantes na prevenção de doenças cardiovasculares2 (DCV).

Poucas triagens clínicas examinaram a interação entre antioxidantes e doenças cardiovasculares2 (DCV) e, segundo os autores do estudo, nenhum estudo prévio examinou o efeito individual da vitamina3 C (ácido ascórbico) em DCV.

 

Mulheres que participaram do estudo Women's Antioxidant Cardiovascular Study testaram os efeitos dos suplementos vitamínicos consumindo vitamina3 C (500 mg ao dia, todos os dias) com vitamina3 E (600 UI) ou beta caroteno (50 mg) em dias alternados. Participaram do estudo 8.171 profissionais de saúde4 do sexo feminino, com idade média de 61 anos, história de doença cardiovascular ou três ou mais fatores de risco para essas doenças, acompanhadas de 1995-1996 até 2005.

 

Um total de 1.450 mulheres apresentou pelo menos um evento cardiovascular. Não houve efeito benéfico do uso de vitamina3 C, vitamina3 E ou de beta caroteno nos resultados individuais em relação a infarto5, derrame6, revascularização coronariana ou morte por DCV. Apenas a combinação de vitaminas C e E mostrou uma discreta diminuição do risco de derrame6 comparado ao uso de placebo7.

 

Apesar do uso de suplemento vitamínico não trazer benefícios cardíacos, uma dieta rica nessas vitaminas contribui para um coração8 mais saudável. Os cientistas acreditam que esta dieta proteja o sistema cardiovascular9 por neutralizar os radicais livres, compostos que podem danificar o endotélio10 das artérias11, contribuindo para a formação de trombos12 e alterando a função dos vasos. Também acreditam que os suplementos vitamínicos podem não refletir o complexo de vitaminas existentes em frutas e vegetais.

 

Pesquisas adicionais sobre a combinação de vitaminas e seus efeitos, sobretudo em derrames, podem ser interessantes.

 

Fonte: Archives of Internal Medicine

NEWS.MED.BR, 2007. Suplementos de vitaminas C, E ou beta caroteno trazem poucos benefícios para a prevenção de doenças cardiovasculares, segundo estudo publicado no Archives of Internal Medicine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11604/suplementos-de-vitaminas-c-e-ou-beta-caroteno-trazem-poucos-beneficios-para-a-prevencao-de-doencas-cardiovasculares-segundo-estudo-publicado-no-archives-of-internal-medicine.htm>. Acesso em: 14 jul. 2020.

Complementos

1 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
6 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
7 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
8 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
9 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
10 Endotélio: Camada de células que reveste interiormente os vasos sanguíneos e os vasos linfáticos.
11 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
12 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
Gostou do artigo? Compartilhe!