Gostou do artigo? Compartilhe!

Identificado trecho de DNA responsável pela virulência da Leptospira interrogans, bactéria causadora da leptospirose

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Cientistas brasileiros e franceses identificam trecho de DNA responsável pela eficácia de infecção1 da bactéria2 patogênica3 Leptospira interrogans, bactéria2 causadora da leptospirose, doença que afeta milhares de pessoas no Brasil a cada ano. O artigo publicado na revista PloS Pathogens traz esperanças para a descoberta de vacinas contra a doença.


Cientistas da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) de Salvador (BA) e do Instituto Pasteur, em Paris, encontraram um dos genes-chave para o comportamento virulento da Leptospira interrogans. Micróbios mutantes que tiveram o gene loa22 inativado se mostraram inofensivos quando inoculados em cobaias - os animais não adoeceram. Os pesquisadores repetiram o procedimento reativando o gene na bactéria2, o que restabeleceu a habilidade de virulência4 da Leptospira para infectar as cobaias.


Ainda não existe vacina5 para prevenir a doença e a descoberta pode ser uma esperança para o desenvolvimento de vacinas que ajudem a evitar a doença. A leptospirose em humanos é transmitida pela urina6 de ratos, por cachorros, porcos ou gado. Os sintomas7 iniciais são de uma forte gripe8 e nos estágios mais avançados pode provocar convulsão9, insuficiência renal10 e hemorragia11 pulmonar. O tratamento mais eficaz é a administração de antibióticos, mas não são raras as mortes por falta de diagnóstico12, sobretudo em áreas mais carentes de informação.


Fonte: PLoS Pathogens

 

NEWS.MED.BR, 2007. Identificado trecho de DNA responsável pela virulência da Leptospira interrogans, bactéria causadora da leptospirose. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11503/identificado-trecho-de-dna-responsavel-pela-virulencia-da-leptospira-interrogans-bacteria-causadora-da-leptospirose.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
3 Patogênica: 1. Relativo a patogenia, patogênese ou patogenesia. 2. Que provoca ou pode provocar, direta ou indiretamente, uma doença.
4 Virulência: 1. Qualidade ou estado do que é ou está virulento. 2. Capacidade de um vírus ou bactéria de se multiplicar dentro de um organismo, provocando doença. 3. No sentido figurado, caráter daquilo ou daquele que está carregado de violência ou de ímpeto violento.
5 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
9 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
10 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
11 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!