Atalho: 6B39A8R
Gostou do artigo? Compartilhe!

Chocolate amargo reduz pressão arterial

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Artigo publicado no The Journal of the American Medical Association (JAMA), realizado por pesquisadores da Universidade de Colônia, na Alemanha, relata que a ingestão de 6,3 gramas diários de chocolate amargo rico em polifenóis (correspondente a 30 calorias1) auxilia na redução da pressão arterial2.

 

O estudo duplo-cego3, randomizado4 e controlado envolvendo 44 adultos (24 mulheres e 20 homens), com idade entre 56 e 73 anos, portadores de hipertensão5 leve e acompanhados durante dezoito semanas, avaliou os efeitos da ingestão de chocolate amargo rico em polifenóis. Os participantes registraram, ao término da pesquisa, uma queda média de 2,9 mmHg na pressão sistólica6 e de 1,9 mmHg na pressão diastólica7. Com essa redução, aparentemente modesta, a prevalência8 de hipertensão5 baixou de 86% para 68% entre os participantes.

 

O chocolate amargo é rico em polifenóis, flavonóides, epicatequina e ácido gálico - antioxidantes que ajudam a proteger os vasos sangüíneos9, prevenir o câncer10 e promover a saúde11 do coração12. Os mesmos benefícios não foram encontrados no chocolate ao leite e no chocolate branco.

 

É bom lembrar que apesar do consumo regular de alimentos com cacau estar associado a um baixo risco de mortalidade13 por eventos cardiovasculares em estudos observacioanais, o consumo de chocolate deve ser moderado, pois é um alimento rico em calorias1 e tem grandes quantidades de gordura saturada14.

 

Fonte: The Journal of the American Medical Association

NEWS.MED.BR, 2007. Chocolate amargo reduz pressão arterial. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11469/chocolate-amargo-reduz-pressao-arterial.htm>. Acesso em: 13 nov. 2019.

Complementos

1 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
2 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
3 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
4 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Pressão sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco. É também chamada de pressão máxima.
7 Pressão Diastólica: É a pressão mais baixa detectada no sistema arterial sistêmico, observada durante a fase de diástole do ciclo cardíaco. É também denominada de pressão mínima.
8 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
9 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
13 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
14 Gordura saturada: Ela é encontrada principalmente em produtos de origem animal. Em temperatura ambiente, apresenta-se em estado sólido. Está nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves e peixes), leite e seus derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê.
Gostou do artigo? Compartilhe!