Gostou do artigo? Compartilhe!

Risco de trombose dobra após quatro horas seguidas de viagem

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A chance de desenvolver trombose venosa profunda1 dobra após quatro horas seguidas de viagem, segundo informação da World Health Organization (WHO). O estudo realizado estimou que um em cada 6 mil passageiros de percursos de longa distância corre este risco.

Pessoas altas que viajam com as pernas apertadas entre poltronas ou bancos e pessoas muito baixas que não apóiam os pés no chão estão particularmente vulneráveis a desenvolver coágulos, os quais estão associados à imobilidade durante o trajeto.

Obesos, mulheres que usam pílulas anticoncepcionais e portadores de desordens de coagulação2 também são mais susceptíveis, assim como os que viajam com freqüência e os que fazem viagens cujo trajeto é longo.

Há um maior risco de tromboembolismo3 venoso durante viagens em que os passageiros ficam sentados e imóveis por mais de quatro horas seguidas, não importando o meio de transporte: carro, avião, ônibus ou trem, disse Catherine Le Gales-Camus, diretora assistente geral de doenças não comunicáveis e saúde4 mental da WHO.

A causa do risco é a imobilidade. Sem as contrações musculares regulares, o sangue5 começa a se “empoçar” nas pernas e cria condições para a formação de coágulos ou trombos6 no sistema venoso7 profundo. A trombose8 pode não ter sintomas9 ou causar dor na panturrilha10 (batata da perna) e edema11 (inchaço12) nas áreas afetadas.

Cerca de 2 bilhões de pessoas viajam de avião a cada ano e muito mais viaja por via terrestre por períodos prolongados. Especialistas dizem que a prevalência13 de trombose8 é relativamente baixa - um em cada 6 mil, incluindo os com pequenos coágulos ou com trombose8 assintomática. Isto significa que, em média, uma pessoa é afetada a cada 20 vôos de longa distância carregando 300 passageiros.

Para reduzir estas estatísticas, é necessário que os passageiros exercitem os músculos14 das panturilhas15 durante as viagens, movimentando os pés e os joelhos de cima para baixo e de baixo para cima, saindo de seus assentos por alguns minutos, quando possível. Também é importante evitar medicamentos para dormir, álcool em excesso e o uso de roupas apertadas que atrapalham a circulação16.

Fonte: World Health Organization

NEWS.MED.BR, 2007. Risco de trombose dobra após quatro horas seguidas de viagem. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11434/risco-de-trombose-dobra-apos-quatro-horas-seguidas-de-viagem.htm>. Acesso em: 20 out. 2020.

Complementos

1 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
2 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
3 Tromboembolismo: Doença produzida pela impactação de um fragmento de um trombo. É produzida quando este se desprende de seu lugar de origem, e é levado pela corrente sangüínea até produzir a oclusão de uma artéria distante do local de origem do trombo. Esta oclusão pode ter diversas conseqüências, desde leves até fatais, dependendo do tamanho do vaso ocluído e do tipo de circulação do órgão onde se deu a oclusão.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
7 Sistema venoso: O sistema venoso possui a propriedade de variação da sua complacência, para permitir o retorno de um variável volume sanguíneo ao coração e a manutenção de uma reserva deste volume.
8 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Panturrilha: 1. Proeminência muscular, situada na face posterossuperior da perna, formada especialmente pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; sura, barriga da perna. 2. Por extensão de sentido, enchimento usado por baixo das meias, para melhorar a aparência das pernas.
11 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
12 Inchaço: Inchação, edema.
13 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
14 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
15 Panturilhas: Proeminência muscular situada na face póstero-superior da perna, formada pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; popularente conhecida como “barriga da perna”.
16 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
Gostou do artigo? Compartilhe!