Gostou do artigo? Compartilhe!

Além de melhorar o condicionamento, apenas 72 minutos de atividade física, divididos em pelo menos 3 dias da semana, podem ajudar na redução de medidas da cintura em mulheres na pós-menopausa com sobrepeso ou obesas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores americanos relataram, no Journal of the American Medical Association (JAMA) de 16 de maio de 2007, que mulheres obesas ou com sobrepeso1 podem se beneficiar com pequenas quantidades de exercícios físicos semanais, obtendo redução na medida da circunferência da cintura e melhorias em seu preparo físico.

O mau condicionamento físico está associado ao risco elevado de mortalidade2. Melhorias na aptidão física, por sua vez, estão associadas ao risco reduzido de mortalidade2. Entretanto, permanece mal compreendida a relação entre a quantidade de atividade física exercida e o preparo cardiorespiratório.

O U.S. Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e o National Institutes of Health (NIH) recomendam pelo menos meia hora de exercícios físicos moderados realizados durante a maior parte da semana, preferencialmente todos os dias, para reduzir o risco de doenças cardíacas, derrame3 e câncer4.

O objetivo do estudo foi examinar os efeitos de 50%, 100% e 150% da atividade física recomendada pelo CDC e NIH no preparo físico de mulheres na pós-menopausa5.

Church e colaboradores estudaram 427 mulheres na pós-menopausa5, com sobrepeso1 ou obesas (Índice de Massa Corporal6 - IMC7 - variando de 25 a 43 kg/m²) e pressão sangüínea8 sistólica variando entre 120 a 160 mmHg, com idade média de 57 anos.

As voluntárias, que participaram do estudo prospectivo9 e randomizado10, foram divididas em 4 grupos: um não realizava atividades físicas, os outros faziam exercícios físicos durante 72 minutos por semana (4 kcal/kg por semana de queima calórica), 135 minutos por semana (8 kcal/kg por semana) ou 190 minutos por semana (12 kcal/kg por semana). O que representa - nesses últimos 3 grupos - metade do que é recomendado, o que é recomendado e 50% a mais do que é recomendado pelo NIH e pelo CDC, respectivamente.


As mulheres fizeram os exercícios em esteiras ou bicicletas ergométricas, mas qualquer atividade física moderada poderia causar efeitos semelhantes; incluindo atividades de jardinagem, natação, brincadeiras em parques com crianças ou outras atividades de gasto energético semelhante a uma caminhada em ritmo ligeiro.

Depois de 6 meses, as mulheres não tinham perdido peso e não haviam mudado a porcentagem de gordura11 no organismo, o que era esperado, já que as mulheres eram encorajadas a manter seus hábitos alimentares de costume. A pressão arterial12 também não sofreu alterações. Também não houve mudanças substanciais nos fatores de risco cardiovasculares. Mas todas que fizeram exercícios estavam com melhor condição física, medida pelo consumo de oxigênio durante a realização dos exercícios, e suas cinturas estavam mais finas, independente da quantidade de exercícios realizada por semana.


A redução da circunferência da cintura tem uma importância clínica particular, já que há um risco aumentado de resistência insulínica, diabetes13, síndrome metabólica14 e mortalidade2 associado ao excesso de gordura abdominal15.


A conclusão do estudo é que existe uma forte relação de dependência entre a quantidade de exercício físico realizada e as mudanças no preparo físico. E que mesmo uma atividade física de cerca de 72 minutos por semana em mulheres na pós-menopausa5 e previamente sedentárias, ou a queima de 4kcal/kg por semana, está associado à melhora significativa do preparo físico comparado com mulheres do grupo que não faziam exercícios.


O grupo que se exercitava com 150% das recomendações do NIH (12 kcal/kg por semana) apresentou uma proporção maior de melhoria no preparo físico quando comparado ao grupo de queima de 8 kcal/kg por semana.


Fonte: Journal of the American Medical Association


Artigos relacionados:


A relação cintura-quadril, e não o índice de massa corporal6, é a melhor medida de obesidade16 para avaliar o risco de um ataque cardíaco, segundo estudo publicado na revista The Lancet. Clique e calcule seu índice Cintura X Quadril

 

Confira material de apoio ao paciente: Sou obeso e quero mudar esta realidade


 

NEWS.MED.BR, 2007. Além de melhorar o condicionamento, apenas 72 minutos de atividade física, divididos em pelo menos 3 dias da semana, podem ajudar na redução de medidas da cintura em mulheres na pós-menopausa com sobrepeso ou obesas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11299/alem-de-melhorar-o-condicionamento-apenas-72-minutos-de-atividade-fisica-divididos-em-pelo-menos-3-dias-da-semana-podem-ajudar-na-reducao-de-medidas-da-cintura-em-mulheres-na-pos-menopausa-com-sobrepeso-ou-obesas.htm>. Acesso em: 18 set. 2019.

Complementos

1 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
6 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
9 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
10 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
11 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
12 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
13 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
14 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
15 Gordura Abdominal: Tecido gorduroso da região do ABDOME. Dela fazem parte as GORDURAS SUBCUTÂNEAS ABDOMINAL e a INTRA-ABDOMINAL
16 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
Gostou do artigo? Compartilhe!