Gostou do artigo? Compartilhe!

Exercício supervisionado versus não supervisionado para claudicação intermitente: revisão sistemática e meta-análise publicada pelo American Heart Journal

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Exercícios supervisionados (ES) são amplamente aceitos como uma terapia eficaz para a claudicação intermitente1 (CI), mas seu uso é limitado pelo custo. Os exercícios não supervisionados (ENS) representam uma alternativa menos dispendiosa.

Foram pesquisadas as base de dados PubMed, EMBASE e Cochrane Database of Systematic Reviews. Identificou-se 24 ensaios clínicos2 randomizados e 4 estudos observacionais controlados que avaliaram a eficácia comparativa do ES versus ENS em 2.074 pacientes com claudicação intermitente1. Comparado ao ENS, o ES foi associado a uma melhora moderada na distância máxima de caminhada (desempenho de caminhada) em 6 meses e em 12 meses. O exercício supervisionado também melhorou a distância de claudicação3 para um grau moderado em comparação com o ENS aos 6 meses e aos 12 meses. Não houve diferença no questionário de saúde4 conhecido como The Short Form (36) Health Survey em relação à qualidade de vida, aos 6 meses, ou no questionário Walking Impairment Questionnaire em relação à distância e à velocidade das limitações ambulatoriais de pacientes com doença arterial periférica.

Em pacientes com claudicação3, o ES é mais eficaz do que o ENS na melhora do desempenho de caminhada e na distância de claudicação3, embora não haja diferença na qualidade geral de vida relatada pelo paciente. Mais estudos são necessários para investigar a relação entre o ganho funcional e a qualidade de vida específica em relação à claudicação intermitente1.

Fonte: American Heart Journal, publicação online, de 16 de março de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Exercício supervisionado versus não supervisionado para claudicação intermitente: revisão sistemática e meta-análise publicada pelo American Heart Journal. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/752212/exercicio-supervisionado-versus-nao-supervisionado-para-claudicacao-intermitente-revisao-sistematica-e-meta-analise-publicada-pelo-american-heart-journal.htm>. Acesso em: 1 dez. 2020.

Complementos

1 Claudicação intermitente: Dor que aparece e desaparece nos músculos da perna. Esta dor resulta de uma falta de suprimento sanguíneo nas pernas e geralmente acontece quando a pessoa está caminhando ou se exercitando.
2 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
3 Claudicação: 1. Falta de certeza; vacilação, hesitação. 2. No sentido figurado, pequeno erro; deslize, falta. 3. Pequena falha ou deficiência; imperfeição.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!