Gostou do artigo? Compartilhe!

Transplante da microbiota fecal em cápsulas congeladas para tratar infecções recorrentes pelo Clostridium difficile, publicado pelo JAMA

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O transplante da microbiota1 fecal (TMF) tem demonstrado ser eficaz no tratamento da infecção2 pelo Clostridium difficile reincidente ou refratária ao tratamento, mas barreiras práticas e as preocupações de segurança têm impedido a sua utilização mais ampla.

Para avaliar a segurança e a taxa de resolução de diarreia3 após a administração de transplante da microbiota1 fecal, em cápsulas congeladas, para uso oral, a partir de doadores não aparentados pré-selecionados para pacientes4 com infecções5 recorrentes pelo Clostridium difficile, foi realizado o presente projeto de pesquisa.

O estudo aberto, de grupo único e de viabilidade preliminar, foi realizado de agosto de 2013 até junho 2014, no Massachusetts General Hospital, em Boston. Vinte pacientes (idade média 64,5 anos; variando de 11 a 89 anos) com pelo menos três episódios de infecção2 leve a moderada pelo Clostridium difficile e falha do tratamento de 6 a 8 semanas com vancomicina, ou pelo menos dois episódios de infecção2 grave pelo Clostridium difficile com necessidade de internação hospitalar foram registrados.

Voluntários saudáveis foram rastreados como potenciais doadores e cápsulas de TMF foram geradas e armazenadas a -80°C (-112°F). Os pacientes receberam 15 cápsulas em dois dias consecutivos e foram acompanhados para verificação da resolução dos sintomas6 e para a presença ou ausência de efeitos adversos por até seis meses.

Os desfechos primários foram a segurança, avaliada por eventos adversos de grau 2 ou superior, e a resolução clínica da diarreia3 sem recaídas em oito semanas. Os desfechos secundários incluíram melhoria do bem-estar subjetivo avaliada por questionários padronizados e número diário de evacuações.

Nenhum evento adverso sério foi atribuído ao TMF. A resolução da diarreia3 foi alcançada em 14 pacientes (70%, IC 95%, 47%-85%), após um único tratamento com TMF. Todos os seis pacientes que não responderam foram retratados; quatro tiveram resolução da diarreia3, resultando em um total de 90% (IC 95%, 68%-98%) de taxa de resolução clínica da diarreia3 (18/20). O número diário de evacuações diminuiu de uma média de cinco episódios (intervalo interquartílico [IQR], 3-6) no dia anterior à administração a dois episódios (IQR, 1-3) no terceiro dia (p=0,001) e um episódio de diarreia3 (IQR, 1-2) na oitava semana após tratamento (p<0,001). Pontuações de saúde7 autoclassificadas melhoraram significativamente em uma escala de 1 a 10 de uma média de 5 (IQR, 5-7) para a saúde7 geral e 4,5 (IQR, 3-7) para a saúde7 gastrointestinal específica, no dia anterior ao TMF, para 8 (IQR, 7-9) após a administração do TMF, tanto para a saúde7 geral como para a saúde7 gastrointestinal (p=0,001). Os pacientes que necessitaram de um segundo tratamento para obter resolução da diarreia3 tinham escores mais baixos de saúde7 pré-tratamento (mediana de 6,5 [IQR, 5-7,3] vs 5 [IQR, 2,8-5], p=0,02).

Este estudo preliminar em pacientes com infecção2 recidivante8 pelo Clostridium difficile fornece dados sobre os eventos adversos e as taxas de resolução de diarreia3 após a administração de TMF utilizando inóculo congelado e encapsulado de doadores não aparentados. Estudos maiores são necessários para confirmar esses resultados e para avaliar a segurança e eficácia em longo prazo.

Fonte: JAMA, publicação online, de 11 de outubro de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. Transplante da microbiota fecal em cápsulas congeladas para tratar infecções recorrentes pelo Clostridium difficile, publicado pelo JAMA. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/576142/transplante-da-microbiota-fecal-em-capsulas-congeladas-para-tratar-infeccoes-recorrentes-pelo-clostridium-difficile-publicado-pelo-jama.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Microbiota: Em ecologia, chama-se microbiota ao conjunto dos microrganismos que habitam um ecossistema, principalmente bactérias, protozoários e outros microrganismos que têm funções importantes na decomposição da matéria orgânica e, portanto, na reciclagem dos nutrientes. Fazem parte da microbiota humana uma quantidade enorme de bactérias que vivem em harmonia no organismo e auxiliam a ação do sistema imunológico e a nutrição, por exemplo.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
4 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Recidivante: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.
Gostou do artigo? Compartilhe!