Atalho: 5VI8MER
Gostou do artigo? Compartilhe!

Champix: medicamento antitabagismo chega ao Brasil este mês

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Laboratório Pfizer lança este mês, no Brasil, um novo medicamento para auxiliar no combate ao tabagismo. O Champix simula os efeitos da nicotina no cérebro1, mas não provoca as alterações que levam à dependência química.

O princípio ativo do Champix, a vareniclina, simula a ação da nicotina no cérebro1, suprindo a falta da substância. Liga-se aos receptores acetilcolina2-nicotínicos agindo de duas formas: age como a nicotina (agonista3 parcial), o que ajuda a aliviar os sintomas4 de privação, mas age igualmente contra a nicotina (antagonista5), tomando o seu lugar, o que permite reduzir os efeitos do prazer ligados ao tabagismo. Não gera aumento dos níveis de dopamina6 - característica do tabaco. Portanto, não provoca os picos que levam ao desejo de acender outro cigarro.

O Champix foi aprovado na Europa e nos Estados Unidos em 2006, sendo neste país chamado de Chantix. Está indicado para ajudar os adultos maiores de 18 anos a deixar de fumar e só pode ser adquirido com prescrição médica. Os principais efeitos colaterais7 são náuseas8, vômitos9, constipação10, insônia e dor de cabeça11.

O fumante deve, primeiramente, fixar uma data para deixar de fumar. A administração do Champix deve começar 1 semana antes desta data. A dose inicial é de um comprimido de 0,5 mg por dia, durante 3 dias, passando para um comprimido de 0,5 mg duas vezes ao dia, nos quatro dias seguintes. Em seguida, a posologia é de 1 comprimido de 1mg duas vezes por dia, até o fim do tratamento (12 semanas). Uma embalagem especial de iniciação do tratamento contém as quantidades corretas das duas dosagens. A dose pode ser reduzida a 0,5 mg duas vezes por dia no caso dos pacientes que não toleram a dose de 1 mg duas vezes ao dia. Para os pacientes com graves problemas renais, a dose de Champix deve ser de 1 mg, uma vez por dia. Para os pacientes que conseguiram deixar de fumar ao fim das 12 semanas, o médico pode aconselhar uma cura suplementar de 12 semanas. Pode, igualmente, decidir por uma suspensão progressiva do medicamento. Os comprimidos devem ser engolidos inteiros, com água, após as refeições.

Os comprimidos brancos têm 0,5 mg de vareniclina. Os azuis têm 1,0 mg da substância.

O custo médio do tratamento completo, que dura 12 semanas, é de R$ 950,00.

 

Fonte: Food and Drug Administration

Veja também: Dia Mundial sem Tabaco: baixe material de apoio a pacientes que desejam parar de fumar

NEWS.MED.BR, 2007. Champix: medicamento antitabagismo chega ao Brasil este mês. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/11228/champix-medicamento-antitabagismo-chega-ao-brasil-este-mes.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.

Complementos

1 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
2 Acetilcolina: A acetilcolina é um neurotransmissor do sistema colinérgico amplamente distribuído no sistema nervoso autônomo.
3 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
6 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
7 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
8 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
9 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
10 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
11 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!