Gostou do artigo? Compartilhe!

Dose baixa de aspirina, em dias alternados, pode reduzir risco de câncer colorretal: publicado pelo Annals of Internal Medicine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisas sugerem que o consumo diário de aspirina reduz o risco de câncer1, especialmente do câncer1 colorretal, mas as evidências para o uso em dias alternados são escassas. O objetivo do estudo publicado no periódico Annals of Internal Medicine foi examinar a associação entre o uso prolongado de aspirina em dias alternados e o câncer1 em mulheres saudáveis.

O ensaio clínico randomizado2, com acompanhamento observacional de profissionais de saúde3 do sexo feminino, contou com a participação de 39.876 mulheres, com 45 anos ou mais, do Women's Health Study, 33.682 das quais continuaram o acompanhamento.

As participantes receberam, em dias alternados, 100 mg de aspirina ou placebo4. O tempo médio de seguimento foi de 10 anos.

Um total de 5.071 casos de câncer1 (incluindo 2.070 casos de câncer1 de mama5, 451 de tumores colorretais e 431 de câncer1 de pulmão6) e de 1.391 mortes por câncer1 foram confirmados. Durante todo o acompanhamento, a aspirina não teve associação com o número total de cânceres ou com os tumores malignos das mamas7 e dos pulmões8. A incidência9 do câncer1 colorretal foi menor no grupo que recebeu aspirina, principalmente o câncer1 de cólon10 proximal11. A diferença surgiu após 10 anos, com uma redução pós-acompanhamento de 42% (P<0,001). Não houve efeito estendido para as mortes por câncer1 ou para os pólipos12 colorretais. Mais sangramento gastrointestinal (P<0,001) e úlceras13 pépticas (P<0,001) ocorreram no grupo que recebeu aspirina.

As limitações do estudo incluem: nem todas as mulheres receberam o seguimento prolongado; o viés de apuração dos resultados pós-acompanhamento não pode ser descartado; os casos de hemorragia14 gastrointestinal, úlceras13 pépticas e pólipos12 foram auto-relatados durante o seguimento prolongado.

Concluiu-se que o uso de baixas doses de aspirina, em dias alternados, pode reduzir o risco de câncer1 colorretal em mulheres saudáveis.

Fonte: Annals of Internal Medicine, de 16 de julho de 2013

NEWS.MED.BR, 2013. Dose baixa de aspirina, em dias alternados, pode reduzir risco de câncer colorretal: publicado pelo Annals of Internal Medicine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/367104/dose-baixa-de-aspirina-em-dias-alternados-pode-reduzir-risco-de-cancer-colorretal-publicado-pelo-annals-of-internal-medicine.htm>. Acesso em: 9 ago. 2020.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
7 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
8 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
10 Cólon:
11 Proximal: 1. Que se localiza próximo do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Em anatomia geral, significa o mais próximo do tronco (no caso dos membros) ou do ponto de origem (no caso de vasos e nervos). Ou também o que fica voltado para a cabeça (diz-se de qualquer formação). 3. Em botânica, o que fica próximo ao ponto de origem ou à base. 4. Em odontologia, é o mais próximo do ponto médio do arco dental.
12 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
13 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
14 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!