Atalho: 648YK5P
Gostou do artigo? Compartilhe!

Fototerapia neonatal com luz azul pode estar associada ao aparecimento de nevos melanocíticos, de acordo com trabalho publicado pelo periódico Pediatrics

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores húngaros relataram, em pesquisa divulgada pelo periódico Pediatrics, que apesar da fototerapia neonatal com luz azul (NBLP) estar sendo amplamente utilizada para o tratamento da icterícia neonatal1 para reduzir a concentração plasmática de bilirrubina2 e, portanto, para evitar o kernicterus3, ela pode ser um fator de risco4 para o desenvolvimento de nevos5 melanocíticos.

O objetivo dos pesquisadores foi compreender melhor o papel da NBLP no desenvolvimento de nevos5 melanocíticos. A pesquisa também investigou o papel de outros fatores ambientais e constitucionais na formação dos nevos5.

Cinquenta e nove gêmeos monozigóticos e dizigóticos foram incluídos neste estudo transversal. Um dos membros da dupla recebeu NBLP e o outro não. Um exame da pele6 do corpo inteiro foi realizado para determinar a densidade de lesões7 cutâneas8 melanocíticas. A prevalência9 de lesões7 pigmentadas benignas na úvea10 foi avaliada durante um exame oftalmológico detalhado. Um questionário padronizado foi usado para avaliar os dados constitucionais, a exposição ao sol e outras variáveis. Para procurar possíveis interações genéticas e ambientais envolvidas no aparecimento de lesões7 pigmentadas, as variantes do receptor de melanocortina 1 e genes do polimorfismo I439V da histidina amônia-liase também foram determinados nos gêmeos participantes.

A NBLP foi associada com uma prevalência9 significativamente maior de ambas as lesões7 melanocíticas - tanto cutâneas8, quanto uveais. Não foi encontrada associação entre os polimorfismos dos genes examinados e o número de alterações pigmentadas no grupo de estudo analisado.

Os dados sugerem que NBLP pode ser um fator de risco4 para o desenvolvimento de nevo11 melanocítico.

A fototerapia com lâmpadas de luz azul é uma modalidade terapêutica12 padrão e essencial nos cuidados neonatais e, portanto, estudos adicionais in vivo e in vitro são necessários para estabelecer seus potenciais efeitos adversos a longo prazo.

Fonte: Pediatrics - de 19 de setembro de 2011

NEWS.MED.BR, 2011. Fototerapia neonatal com luz azul pode estar associada ao aparecimento de nevos melanocíticos, de acordo com trabalho publicado pelo periódico Pediatrics. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/235620/fototerapia-neonatal-com-luz-azul-pode-estar-associada-ao-aparecimento-de-nevos-melanociticos-de-acordo-com-trabalho-publicado-pelo-periodico-pediatrics.htm>. Acesso em: 22 set. 2020.

Complementos

1 Icterícia neonatal: Condição bastante comum. Resulta da elevação dos níveis séricos de bilirrubina. Os recém-nascidos apresentam níveis de bilirrubina significativamente maiores que adultos, devido a mecanismos fisiológicos normais, pois apresentam hematócrito mais elevado, maior carga de “heme” por peso, as hemácias de recém-nascidos têm uma menor vida média, apresentam uma deficiência natural de UDP glucuronosiltransferase, com uma menor capacidade de conjugar e excretar a bilirrubina. Observa-se uma menor excreção de bilirrubina relacionada ao menor trânsito intestinal dos recém-nascidos, principalmente nos prematuros. Aqueles em aleitamento materno também apresentam um menor volume fecal, reduzindo ainda mais a excreção da bilirrubina.
2 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
3 Kernicterus: Forma de icterícia que surge no recém nascido, de especial gravidade pela tendência a produzir alterações neurológicas irreversíveis por impregnação da bilirrubina em áreas do cérebro. Seu tratamento é a fototerapia, que transforma a bilirrubina em uma forma mais estável, incapaz de penetrar no sistema nervoso central, e passível de ser eliminada na urina.
4 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
5 Nevos: Popularmente conhecidos como “pintas“ ou sinais de nascença“. São manchas na pele que podem ser uma lesão plana ou elevada, pigmentada (de cor marrom, cinza, azul ou preto) ou não e podem apresentar potencial de malignização dependendo do tipo.
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
8 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
9 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
10 Úvea: A úvea, também chamada trato uveal, consta de três estruturas: a íris, o corpo ciliar e a coroide. A íris, o anel colorido que rodeia a pupila negra, abre-se e fecha-se como a lente de uma câmara fotográfica. O corpo ciliar é o conjunto de músculos que dilatam o cristalino para que o olho possa focar os objetos próximos e que o tornam mais fino ao focar os mais distantes. A coroide é o revestimento interior do olho que se estende desde a extremidade dos músculos ciliares até ao nervo óptico, localizado na parte posterior do olho.
11 Nevo: Popularmente conhecido como “pinta“ ou sinal de nascença“. É uma mancha na pele que pode ser uma lesão plana ou elevada, pigmentada (de cor marrom, cinza, azul ou preto) ou não e pode apresentar potencial de malignização dependendo do tipo.
12 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
Gostou do artigo? Compartilhe!