Gostou do artigo? Compartilhe!

Risco de hipoglicemia durante a hemodiálise em diabéticos renais crônicos está relacionado à glicemia mais baixa na pré-diálise

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para comparar a ocorrência de hipoglicemia1 durante a hemodiálise2 em pacientes diabéticos com doença renal3 crônica que apresentam diferentes níveis de glicemia4 pré-diálise5 e o uso de soluções de diálise5 (dialisado) com e sem glicose6 foi realizado um trabalho publicado no Archives of Endocrinology and Metabolism.

O estudo foi ralizado na Universidade Luterana do Brasil, no Rio Grande do Sul. Vinte pacientes com diabetes mellitus7 tipo 2 (DM2) em hemodiálise2 foram submetidos a três sessões de diálise5 (em um intervalo de sete dias cada uma) com soluções de diálise5 sem glicose6.

Níveis de glicose6 no sangue8 foram medidos imediatamente antes da diálise5 e em quatro momentos durante a sessão. Valores abaixo de 70 mg/dL9 foram considerados como hipoglicemia1. A média de glicemia4 pré-diálise5 foi menor naqueles que apresentaram hipoglicemia1 intra-dialítica do que naqueles que não apresentaram hipoglicemia1 intra-dialítica, tanto com o uso de soluções sem glicose6 quanto com o uso de soluções com glicose6 de 55 mg/dL9. Em pacientes com glicemia4 pré-diálise5 abaixo de 140 mg/dL9, a glicemia4 intradialítica média foi significativamente inferior à glicemia4 pré-diálise5 apenas quando era utilizado dialisado sem glicose6. A hipoglicemia1 durante a diálise5 foi observada somente quando eram utilizadas soluções de diálise5 sem glicose6 ou pobres em diálise5.

Concluiu-se que nos pacientes estudados o uso de solução de diálise5 sem glicose6 ou pobre em glicose6 aumentou o risco de hipoglicemia1 intradialítica em pacientes diabéticos com insuficiência renal10 crônica, especialmente naqueles com melhor controle glicêmico presumido.

Fonte: Archives of Endocrinology and Metabolism, volume 59, número 2, de abril de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Risco de hipoglicemia durante a hemodiálise em diabéticos renais crônicos está relacionado à glicemia mais baixa na pré-diálise. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/754682/risco-de-hipoglicemia-durante-a-hemodialise-em-diabeticos-renais-cronicos-esta-relacionado-a-glicemia-mais-baixa-na-pre-dialise.htm>. Acesso em: 21 nov. 2019.

Complementos

1 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
2 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
5 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
6 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
7 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
8 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
9 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
10 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
Gostou do artigo? Compartilhe!