Atalho: 5J9C0RM
Gostou do artigo? Compartilhe!

Suplemento de vitamina B não previne derrame cerebral, em estudo publicado pelo The Lancet Neurology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O uso de suplemento de vitamina1 B, em estudo randomizado2 e duplo-cego, não evitou derrames cerebrais ou infarto3 do micárdio em pacientes com ataques isquêmicos transitórios ou derrame4 prévio, segundo pesquisa publicada pelo The Lancet Neurology.

Estudos epidemiológicos prévios sugerem que a concentração plasmática aumentada de homocisteína pode ser um fator de risco5 para eventos vasculares6 maiores como os derrames cerebrais e o infarto3 agudo7 do miocárdio8. Entretanto, não se sabe se a redução de homocisteína com o uso de vitamina1 B em pacientes com derrame4 prévio ou ataque isquêmico9 transitório diminui este risco.

Estudo publicado pelo The Lancet Neurology procurou investigar exatamente se o uso de suplementos de vitamina1 B, além dos cuidados habituais, reduziu os níveis totais de homocisteína e a incidência10 de derrame4 cerebral não fatal, infarto do miocárdio11 não fatal e as mortes atribuídas a causas vasculares6 em pacientes com história de derrame4 cerebral recente ou ataque isquêmico9 transitório.

O estudo randomizado2, duplo-cego, controlado por placebo12 envolveu pacientes com história de derrame4 cerebral recente ou ataque isquêmico9 transitório (nos últimos sete meses) de 123 centros médicos de 20 países recebendo diariamente um comprimido de placebo12 ou de suplemento de vitamina1 B (2 mg de ácido fólico, 25 mg de vitamina1 B6 e 0,5 mg de vitamina1 B12).

Os resultados, após seguimento de 3 a 4 anos, mostraram que, apesar do uso do suplemento de vitamina1 B ser seguro e apresentar poucos efeitos colaterais13, não mostrou redução na incidência10 de eventos vasculares6 maiores em relação ao uso de placebo12.

Fonte: The Lancet Neurology, de 4 de agosto de 2010

NEWS.MED.BR, 2010. Suplemento de vitamina B não previne derrame cerebral, em estudo publicado pelo The Lancet Neurology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/64207/suplemento-de-vitamina-b-nao-previne-derrame-cerebral-em-estudo-publicado-pelo-the-lancet-neurology.htm>. Acesso em: 24 jun. 2019.

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
4 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
5 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
6 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
7 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
8 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
9 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
10 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
11 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
12 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
13 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

11/08/2010 - Complemento feito por marcos
Re: Suplemento de vitamina B não previne derrame cerebral, em estudo publicado pelo The Lancet Neurology
Os acidentes vasculares cerebrais são divididos em dois tipos, o primeiro chamado de ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL ISQUÊMICO, é aquele em que o fluxo sanguíneo cerebral é interrompido devido à alguma obstrução, como por exemplo, um coágulo proveniente de outros órgãos, que ao chegar na circulação cerebral, por ter vasos de pequeno calibre,acabam por impedir o fluxo sanguíneo, com consequências que variam de acordo com o tempo em que a obstrução perdurar, bem como depende de outros fatores, como presença de uma rede de vasos colaterais que podem suprir ainda que de maneira precária, as áreas cerebrais irrigadas por este vaso parcialmente obstruído.
Outro tipo é o ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO HEMORRÁGICO, em que as paredes dos vasos, não suportam a pressão exercida pelo sangue, ao encontrar um obstáculo como o coágulo do exemplo,porém neste caso, a obstrução é total,e possivelmente a circulação colateral ou está ausente, ou comprometida, com outros coágulos.
SE VOCÊ, JÁ TEVE UM DOS DOIS TIPOS DE ACIDENTES VASCULARES CEREBRAIS, FAÇA EXAMES DE ROTINA, TANTO LABORATORIAIS, COMO POR IMAGEM E OUTROS NECESSÁRIOS, SE SENTE FORTES DORES DE CABEÇA, SE SUA PRESSÃO ESTÁ FORA DOS PADRÕES, CONSULTE UM ESPECIALISTA, QUE INDICARÁ EXAMES QUE PODEM DETECTAR RISCOS DE DESENVOLVER COÁGULOS, E TRATAR DE FORMA PREVENTIVA PARA QUE OS EVENTOS ACIMA NÃO ACONTEÇAM.

  • Entrar
  • Assinar