Gostou do artigo? Compartilhe!

Dormir de bruços pode aumentar risco da síndrome da morte súbita em prematuros, publicação do Pediatrics

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Dormir em pronação, com a face1 e o abdome2 voltados para baixo, é um importante fator de risco3 para a síndrome4 da morte súbita infantil (SMSI) e os prematuros estão em um risco significativamente maior para esta condição. Em bebês5 nascidos a termo, dormir de bruços (em pronação) está associado a uma redução na pressão arterial6 média (PAM) e no índice de oxigenação do tecido7 cerebral (TOI). No entanto, pouco se sabe sobre os efeitos da posição de dormir no TOI e na PAM de prematuros.

O objetivo do presente trabalho, publicado pelo periódico Pediatrics, foi avaliar o efeito da posição de dormir no TOI e na PAM em prematuros, após a correção da idade gestacional, durante o período de maior risco para a síndrome4 da morte súbita infantil (SMSI).

Trinta e cinco recém-nascidos pré-termos e dezessete bebês5 nascidos a termo foram submetidos à polissonografia8 diurna, incluindo a medição do TOI (NIRO-200 espectrofotômetro, Hamamatsu Photonics KK, Japão) e da PAM (Finapress Medical Systems, Amsterdam, Holanda) nas 2ª e 4ª semanas de vida, com 2 a 3 meses e com 5 a 6 meses após correção da idade gestacional. Os bebês5 dormiram em pronação e em posição supina durante o sono ativo e passivo. Os efeitos do estado de repouso e a posição foram calculados e analisados.

Nos prematuros, o TOI foi significativamente menor quando em pronação comparado ao da posição supina em ambos os estados de sono em todas as idades (P<0,05). Notavelmente, o TOI foi significativamente menor nos prematuros em comparação com as crianças nascidas a termo na segunda à quarta semanas, em ambas as posições (P<0,05), e em 2 a 3 meses quando em pronação (P<0,001), em ambos os estados de sono. A PAM também foi menor nos recém-nascidos prematuros em decúbito ventral9 em 2 a 3 meses (P<0,01).

Concluiu-se que a oxigenação cerebral é reduzida quando prematuros estão em decúbito ventral9 e é menor em comparação a crianças nascidas a termo com a mesma idade, principalmente na posição ventral, quando a PAM também é reduzida. Isto pode contribuir para um maior risco para o SMSI.

Fonte: Pediatrics, publicação online de 25 de agosto de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. Dormir de bruços pode aumentar risco da síndrome da morte súbita em prematuros, publicação do Pediatrics. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/565932/dormir-de-brucos-pode-aumentar-risco-da-sindrome-da-morte-subita-em-prematuros-publicacao-do-pediatrics.htm>. Acesso em: 14 abr. 2021.

Complementos

1 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
2 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
3 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
4 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
5 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
6 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
7 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
8 Polissonografia: Exame utilizado na avaliação de algumas das causas de insônia.
9 Decúbito ventral: Também conhecido como posição PRONA. A pessoa fica deitada de bruços, sobre o abdome, com a cabeça voltada para um dos lados.
Gostou do artigo? Compartilhe!